PUBLICIDADE

Lucas mira título europeu e quer Fábio Aurélio na Seleção

7 mar 2009 - 15h18
(atualizado às 15h31)
Publicidade

Lucas Leiva se sente impotente esquentando o banco do Liverpool. Ele quer ganhar espaço na briga com Mascherano e Xabi Alonso e, assim, reconquistar um lugar que parecia seu quando, no meio de 2007, deixou o Grêmio para jogar no futebol inglês.

» Comente as declarações de Lucas

Após uma temporada inicial de adaptação e em busca de espaço, a sensação é de que Lucas não engatou a segunda marcha. No Campeonato Inglês de 2008/09, só fez sete partidas completas e ainda busca o espaço que hoje é dos inquestionáveis volantes argentino e espanhol. Para piorar as coisas, uma expulsão no clássico com o Everton pela Copa da Inglaterra, em que o Liverpool acabou perdendo e sendo eliminado, gerou duras críticas de um grupo de torcedores.

Aos 22 anos, Lucas reconhece a capacidade dos concorrentes, mas fala grosso e se enxerga pronto para atuar entre os titulares do Liverpool. O tipo de personalidade, diga-se, que costuma agradar Dunga.

Para o ex-gremista, voltar a trabalhar com o treinador da Seleção Brasileira é o maior objetivo e passa pelas oportunidades no clube. "Quero jogar a Copa das Confederações", diz, endossando ainda o nome do companheiro Fábio Aurélio.

Isso tudo passa pela Copa dos Campeões. Embora o objetivo da temporada do Liverpool fosse vencer o título inglês, que não ganha desde 1990, a perda da liderança para o Manchester United diminuiu as oportunidades. Assim, o negócio é apostar as fichas em outra conquista européia. "Se passarmos pelo Real Madrid, são só quatro jogos até a final", lembra Lucas.

Confira a entrevista na íntegra:

Terra - Como tem recebido as críticas de alguns torcedores?
Lucas - Com tranqüilidade. Eu nem fiquei sabendo tanto, pois aqui não leio muito as coisas que escrevem. Às vezes, a imprensa inventa além do que realmente existe. Ficou um pouco chato após minha expulsão contra o Everton, mas nada que pudesse afetar meu relacionamento com a torcida. O Rafa (Benítez) tem me dado muito apoio e quando saio na rua só ouço coisas boas.

Terra - Você tem jogado menos do que esperava nessa temporada?
Lucas - Sim, menos do que esperava. Já tive um período de adaptação e hoje me sinto completamente pronto pela maneira de jogar e também fisicamente. Hoje espero jogar sempre mais, para voltar para a Seleção, que é um dos meus objetivos. Quero estar no grupo e jogar a Copa das Confederações, até por ter tido um bom momento na Olimpíada. O Dunga me conhece.

Terra - Seus concorrentes são o Mascherano e o Xabi Alonso. O que procura observar neles?
Lucas - É uma disputa forte, mas me sinto no mesmo nível deles para jogar. Do Mascherano, vejo a parte defensiva, que é onde ele tem mais qualidades. Sempre observo, é um exímio marcador. Já o Xabi é a qualidade técnica, o passe que impressiona. Um dos melhores que já vi.

Terra - O Campeonato Inglês está muito acima das outras ligas nacionais?
Lucas - Pelas contratações, pelo que gasta, hoje é muito bem visto em todo o mundo. Não sei dizer se é melhor que o Italiano e o Espanhol, em que não joguei, mas é muito competitivo. Esses três nós podemos colocar como grandes forças.

Terra - Tem acompanhado o Grêmio e as últimas derrotas em Gre-Nal?
Lucas - Quando posso, acompanho sim. Pela internet e com pessoas com quem criei grande amizade. Apesar da estréia, é candidato ao título da Libertadores, em que sempre chega forte.

Em relação aos clássicos, perder abala. E a gente sabe o quanto é chato perder para o Inter, toda a gozação que tem. Mas não é nada que não possa mudar. Com certeza terá mais jogos, na final do Gaúcho, no Campeonato Brasileiro. É torcer.

Terra - Como explicar o Liverpool ser tão diferente na Copa dos Campeões e na Premiere League?
Lucas - É complicado de responder. O Liverpool tenta o Inglês há muito tempo e viramos esse ano em primeiro lugar, com uma diferença. E agora mudou toda a tabela nesse tempo. Tivemos muitos empates, sobretudo em casa. Isso foi o que nos prejudicou e nos deixa distantes, pois dificilmente o Manchester vai perder três ou quatro jogos seguidos. Eles sequer tomam gols.

Terra - Mas o que explica todos esses empates?
Lucas - A maioria dos jogos foram com os adversários atrás da linha da bola com todos os dez jogadores. Nossa campanha é melhor fora que em casa, pois saem e deixam mais espaços. Essa é a grande diferença.

Terra - O fato de o Rafa Benítez nunca fixar um time titular não tem prejudicado?
Lucas - Isso sempre é questionado, até porque ele costuma trocar bastante. No Brasil, a gente não está acostumado com isso. Não sei se está certo ou errado, mas deu sucesso para ele no Liverpool e no Valencia.

Terra - Já é o caso de dividir o foco, que era do Inglês, com a Copa dos Campeões?
Lucas - Hoje a gente sabe que o Inglês está muito difícil e é complicado de tirar a diferença. Temos essa oportunidade na Copa dos Campeões e ficam faltando quatro partidas para a final se passarmos pelo Real Madrid. Temos que focar isso, pois se ganharmos nós entramos na história do clube.

Terra - Em sua opinião, o Fábio Aurélio já deveria ter sido chamado para a Seleção Brasileira?
Lucas - Ele vive uma grande fase e é experiente. Além disso, está ansioso, esperando, como qualquer jogador que joga no Liverpool. Até sofreu com lesões e esse rodízio na escalação tem ajudado ele. Quando atuava várias partidas seguidas, se lesionava. Agora se recupera em tempo e não tem lesões. Se ele tiver a chance, vai aproveitar bem.

Terra - Você se preocupa com a possibilidade de o Rafa Benítez sair ao fim da temporada?
Lucas - Lógico que preocupa, até pela história dele no clube e por ter sido responsável pela minha contratação. Mas a renovação envolve muita coisa e não só questão financeira, pelo que a gente lê. Todos querem que ele fique e acredito que vá ficar.

Lucas espera retomar o seu lugar de titular na equipe do Liverpool e voltar à Seleção
Lucas espera retomar o seu lugar de titular na equipe do Liverpool e voltar à Seleção
Foto: Getty Images
Fonte: Especial para Terra
Publicidade