1 evento ao vivo

PSG vence na prorrogação e conquista Copa da França

1 mai 2010
18h21
atualizado às 19h25

O Paris Saint-Germain conquistou neste sábado a Copa da França da temporada 2009/2010. Em final disputada no Stade de France, em Saint-Denis, o time da capital francesa derrotou o Monaco por 1 a 0 na prorrogação, após 0 a 0 durante todo o tempo regulamentar, e garantiu a taça pela oitava vez em sua história.

O resultado corou a campanha do clube parisiense, que faz papel discreto no Campeonato Francês e que só entrou na competição a partir da décima fase. A equipe do ex-colorado Ceará estreou eliminando o Aubervillier (5 a 0 fora de casa), antes de passar por Évian (3 a 1 no Parc des Princes) e Vesoul (1 a 0 nas oitavas de final). A partir daí, passou por Auxerre nas quartas de final (0 a 0 no tempo normal, 6 a 5 nos pênaltis) e pelo surpreendente Quevilly nas semifinais (1 a 0 em Caen).

O Monaco fez campanha parecida, eliminando Tours (0 a 0 no tempo normal, 4 a 3 nos pênaltis), Lyon (2 a 1), Bordeaux (2 a 0 fora de casa nas oitavas de final), Sochaux (4 a 3 nas quartas) e Lens (1 a 0). No entanto, a equipe do Principado não conseguiu aproveitar a presença do Príncipe Albert II nas arquibancadas. O monarca monegasco sentou-se ao lado do presidente francês, Nicolas Sarkozy.

Durante o primeiro tempo da partida, o Paris Saint-Germain não se intimidou e criou pelo menos três boas chances com Ludovic Giuly, Mevlut Erding e Mamadou Sakho. No entanto, o Monaco quase abriu o placar aos 43min em jogada individual do atacante colombiano Juan Pablo Pino, que passou pela defesa e só não marcou porque foi parado pelo goleiro Apoula Edel.

No segundo tempo, Edel apareceu novamente bem aos 15min, defendendo em dois tempos a cobrança de falta do brasileiro Nenê. Os parisienses, porém, responderam perigosamente aos 37min, em nova chance de Mevlut Erding - desta vez, após receber o lançamento em profundidade, ele bateu na saída do goleiro Stéphane Rufier e acertou a trave.

O gol não saiu, e a decisão foi para a prorrogação. Aí, aos 16min do primeiro tempo extra, finalmente a bola foi às redes: após receber do veterano Claude Makélélé pela direita, Christophe Jallet invadiu a área e acertou um forte chute cruzado. Rufier defendeu, mas a bola sobrou na cabeça de Guillaume Hourau, que apenas precisou escorar para marcar o gol da vitória.

Racismo, não!

Parte dos 75 mil torcedores que compareceram ao jogo se posicionaram contra as manifestações recentes de racismo por parte de um setor da torcida do Paris Saint-Germain.

Na sexta-feira, o clube denunciou fãs que pintaram cruzes gamadas no próprio estádio da final, acompanhadas da inscrição "PSG Fascistas". No sábado, uma faixa com os dizeres "torcedores parisienses contra o racismo" foi exposta nas bancadas.

De cabeça, Gillaume Hoarau fez o gol que deu o título Paris Saint-Germain em Saint-Denis
De cabeça, Gillaume Hoarau fez o gol que deu o título Paris Saint-Germain em Saint-Denis
Foto: AFP
Fonte: Redação Terra
publicidade