2 eventos ao vivo

Grécia surpreende, empata e estraga festa da Polônia na abertura da Euro

8 jun 2012
14h52
atualizado às 18h28
Dassler Marques
Direto de Varsóvia (Polônia)

Campeã em 2004, a Grécia voltou a mostrar sua capacidade de superação na abertura da Eurocopa, nesta sexta-feira, em Varsóvia. Diante da co-anfitriã Polônia, tecnicamente superior e com apoio de seus 58 mil torcedores, os gregos saíram atrás, superaram uma expulsão rigorosa e igualaram o placar em 1 a 1. Não fosse um pênalti desperdiçado pelo capitão Karagounis, aliás, o raio de oito anos atrás teria caído novamente.

» Veja em 3D: os gols de Polônia e Grécia

Contra Portugal, na ocasião, os gregos venceram pelo placar de 2 a 1 na abertura, o que sugeria ocorrer o pênalti desastroso cometido pelo goleiro Szczesny, do Arsenal. Um dos principais nomes do time, aliás, o camisa 1 foi o ponto baixo para o time polonês na primeira jornada e também falhou no gol grego. Lewandowski, em grande fase, havia aberto o placar. O gol de empate da Grécia foi feito por Salpingidis.

A Polônia tinha grande expectativa de buscar sua primeira vitória na história da Eurocopa, mas não foi desta vez. O discurso de abrir três pontos na estreia para buscar as quartas de final foi por água abaixo e, no fim das contas, o empate teve sabor positivo pelas circunstâncias. Tyton, desconhecido goleiro reserva, saiu do banco para assegurar o 1 a 1.

Primeiro tempo: Polônia, superior, em vantagem

Com o mesmo time que havia feito 4 a 0 sobre o Andorra no último amistoso de preparação, sábado passado em Varsóvia, a Polônia justificou sua condição de favorita destacada para a abertura da Eurocopa já nos minutos iniciais. Especialmente ancorada no trio bicampeão alemão com o Borussia Dortmund, se mostrou bastante superior aos gregos.

Aos 5min, bola alçada na área encontrou Lewandowski. No pivô, ele rolou para Blaszczykowski estourar a bola na defesa. Murawski recolheu e teve tempo de se preparar e bater firme, mas errou o alvo. A Grécia teve sua melhor chance na sequência, em bola aérea. Gekas se antecipou pelo alto e desviou bom cruzamento, mas a conclusão não foi na meta de Szczesny.

O jogo mostrava o caminho para a seleção polonesa, que forçava o corredor direito com força e velocidade. Piszczek, lateral cotado pelo Real Madrid, chegou à área pela ponta após passe de Obraniak e tentou servir Lewandowski, que não alcançou por milímetros. Mas era um indício.

Aos 17min, a combinação de repetiu e os poloneses gritaram gol pela primeira vez na Euro 2012. Combativos, roubaram a bola no meio e Blaszczykowski disparou até a linha de fundo para um cruzamento primoroso. Melhor, mesmo, só a conclusão: Lewandowski, o homem de 23 gols no último Campeonato Alemão, filho da capital Varsóvia, escorou com classe e festejou como criança.

A empolgação tomou conta dos poloneses, que entoaram seu grito de jeszcze jeden. Em bom português, mais um. Mais tímido após abrir o marcador, o time da casa só animou mesmo após uma atuação bastante rigorosa do árbitro espanhol Carlos Velasco.

Em escapada de Murawski, Sokratis Papastathopoulos, que já tinha amarelo, se chocou ao polonês. Velasco deu o primeiro vermelho da Euro e revoltou os gregos. Foi o último momento de emoção na primeira etapa. Os gregos até foram superiores em posse de bola, mas sete finalizações polonesas contra só duas da Grécia evidenciaram o protagonista dos 45 primeiros minutos.

Segundo tempo: Grécia ressurge e quase vence

A história da Eurocopa mostra que a Grécia não precisa criar muitas chances para mudar o marcador. E foi o que se evidenciou já no início da etapa complementar. Reorganizada com Salpingidis no lugar de Ninis pela ponta direita e uma nova dupla de zaga, com Katsouranis recuado, equilibrou as ações. Aos 5min, Torissidis foi ao fundo e cruzou. Após trombada entre Gekas e Szczesny, Salpingidis empurrou com a meta vazia.

A partida definitivamente ficou equilibrada. De falta, Obraniak assustou os gregos, e a Polônia buscava a iniciativa do jogo. Mas os gregos, mesmo em inferioridade numérica, se reorganizaram muito bem em campo. Rybus, o mais apagado do time polonês, respondeu com a única outra boa chance dos co-anfitriões, em cabeçada fora do alvo.

E quem esperava por um jogo de poucas emoções foi surpreendido mais uma vez aos 24min. Em lançamento, Salpingidis, o nome da etapa final, surgiu diante de Szczesny. Mais uma vez atrapalhado, o goleiro do Arsenal derrubou o rival e foi expulso. Tyton, arqueiro reserva do holandês PSV Eindhoven, entrou para dar sua contribuição. Karagounis teve a bola da vitória, mas parou no camisa 22.

Os gregos voltaram a flertar com uma incrível virada instantes depois, o que aumentou o clima de tensão na capital Varsóvia. Fourtonis apareceu na ponta esquerda em impedimento quase imperceptível e serviu para o gol de Salpingidis. O assistente espanhol, corretamente, anulou.

A partida ganhou em tensão, os times se anularam em 10 contra 10. A co-anfitriã se mostrou impotente para buscar o gol grego. A única real oportunidade ocorreu com Lewandowski, que abriu espaço na área e chutou firme, mas na rede pelo lado de fora. A Grécia mostrou que ainda não é uma presa fácil quando o assunto é Eurocopa.

Ficha técnica

POLÔNIA 1 x 1 GRÉCIA

Gols
POLÔNIA:
Lewandowski, aos 17min do primeiro tempo
GRÉCIA:
Salpingidis, aos 5min do segundo tempo

POLÔNIA: Szczesny; Piszczek, Wasilewski, Perquis e Boenisch; Polanski e Murawski; Blaszczykowski, Obraniak e Rybus (Tyton); Lewandowski
Treinador: Franciszek Smuda

GRÉCIA: Chalkias; Torossidis, Sokratis, Avraam Papadopoulos (Kyriakos Papadopoulos) e Holebas; Mariatis, Katsouranis e Karagounis; Ninis (Salpingidis), Gekas (Fortounis) e Samaras
Treinador: Fernando Santos

Cartões amarelos
GRÉCIA: Holebas, Karagounis

Cartões vermelhos
GRÉCIA: Sokratis e Szczesny

Árbitro
Carlos Velasco Carballo (Espanha)

Público
56.070 espectadores

Local
Estádio Nacional de Varsóvia, em Varsóvia



Fonte: Terra
publicidade