PUBLICIDADE

Apesar de desmanche, Denílson crê em Arsenal campeão

14 ago 2009 - 13h27
Publicidade

Dassler Marques


Aos 18 anos, Denílson já era jogador do Arsenal, recém-chegado do São Paulo. Agora, partindo para sua quarta temporada na Inglaterra, ele virou uma das referências da jovem equipe liderada pelo treinador francês Arséne Wenger. E apesar da atitude modesta de seu clube no mercado de transferências - e as perdas de Emmanuel Adebayor e Kolo Touré para o Manchester City -, fala com impressionante convicção: "Vamos brigar pelo título".

Ao lado de Cesc Fabregas, 22 anos, Samir Nasri, 22 anos, e Theo Walcott, 20 anos, compõe a jovem base do Arsenal, reforçada pelos "experientes" Robin Van Persie, 26 anos, e Andrey Arshavin, 28 anos. E na opinião de Denílson, não é pouco para brigar com os fortes Manchester United, Liverpool e Chelsea.

Apesar de ter o nome sempre ligado à Seleção Brasileira, o jovem volante ainda aguarda por debutar com a camisa amarela. Chamado uma vez por Dunga, ele não chegou a entrar em campo, mas tem história em seleções de base. Não há dúvidas de que fazer um grande papel com o despretencioso Arsenal lhe dará essa condição. É o que veremos a partir deste fim de semana, com o início do Campeonato Inglês.

Confira a entrevista na íntegra:

Terra - O filme do Arsenal se repete novamente, com poucos investimentos e críticas a essa política de apostar em jovens. Como deve ser essa temporada?
Denílson - A cada ano que passa tem aumentado. Mas não só eu, como toda a equipe está preparada, porque tivemos uma experiência grande na temporada passada. Temos muita personalidade e experiência suficiente para conquistar o que desejamos, então vamos em busca do que cada um sempre buscou, que é ganhar títulos.

Terra - Dá para o Arsenal pensar em título ou o objetivo é mesmo ficar entre os quatro primeiros?
Denílson - É conseguir títulos! Não é só ficar entre os quatro, não. Queremos o título nesse ano, indendepente de terem saído outros jogadores.

Terra - O que o Wenger tem falado por aí a respeito de expectativas?
Denílson - Ele é super tranquilo e confia bastante na gente, independente da saída dos dois jogadores (Touré e Adebayor) que nos ajudaram por um bom tempo. É o momento de pegarmos essa responsabilidade, de nos dedicarmos.

Terra - Ele tem respaldo para essa política de poucos gastos ou é boato de que o clube não concorda?
Denílson - Acredito que seja boato. O Arsenal gosta de jogadores novos, gosta de formar jogadores. É totalmente diferente dos outros clubes grandes ingleses. Claro que a torcida quer jogadores de nome, mas compramos jogadores com qualidade e não só com nome.

Terra - Acontece que vocês também perderam o Touré e o Adebayor. Dá para cobrir esses buracos?
Denílson - Dá, sim. Temos jogadores de qualidade também. São nomes de alto nível, mas temos qualidade nos dois setores. Isso fortalece a equipe, porque há jogadores saindo e muita gente não acredita na gente.

Terra - Aaron Ramsey, Jack Wilshere e Fran Mérida devem atuar mais na temporada, são três jogadores jovens e de meio-campo como você. O que pode dizer sobre eles?
Denílson - Wilshere tem 17 anos, tem muita qualidade e vem demonstrando seu valor. É um garoto de um futuro brilhante e é um jogador que nos ajudará bastante. Ramsey é outro meio-campista novo, ainda de 18 anos, e o técnico está lhe dando oportunidades pouco a pouco. São novos e de qualidade. A base de nosso time é toda jovem.

Terra - Além do Tottenham e do Aston Villa que nos últimos anos sempre levam perigo, há agora o Manchester City com um time para brigar forte. O que tem esperado dos três?
Denílson - Muitas equipes na Inglaterra podem surpreender, é que muita gente só olha os quatro primeiros e esquece das outras equipes, que têm qualidade também. Essa temporada vai acabar sendo mais emocionante, porque o Cristiano Ronaldo e o Tevez saíram do Manchester, que agora não está aquela equipe do ano passado, que todos viam como favorita absoluta.

Terra - Tem se falado no Robinho ficar no banco, já que há o Tevez, o Emmanuel Adebayor e o Roque Santa Cruz estão agora no Manchester City. Você acha isso possível?
Denílson - Robinho no banco? Acredito que não. Até pela qualidade que tem, pelo histórico no futebol, não acredito. O City está comprando atacantes, mas vamos ver. Só após o campeonato poderemos falar se valeu a pena ou não.

Terra - Você se afastou um pouco da briga por Seleção. Acha que ainda há tempo para brigar pela Copa?
Denílson - Acredito que no momento é melhor pensar no clube, focar aqui, porque só eu estando bem por aqui poderei ser chamado pelo Dunga.

Denílson chegou ainda jovem na Inglaterra e agora é uma das referências no Arsenal
Denílson chegou ainda jovem na Inglaterra e agora é uma das referências no Arsenal
Foto: Getty Images
Fonte: Redação Terra
Publicidade