1 evento ao vivo

West Ham e Tottenham brigam por Estádio Olímpico de Londres 2012

12 nov 2010
18h31
atualizado em 13/12/2010 às 09h55

O Estádio Olímpico de Londres 2012 vai se tornar a casa de algum dos grandes clubes da capital inglesa, depois que West Ham United e Tottenham Hotspur foram selecionados nesta sexta-feira como os concorrentes a arrendar o local depois da Olimpíada.

A entidade pública responsável pelo legado dos Jogos vai iniciar agora as negociações com os dois clubes da Premier League e a decisão será tomada no primeiro semestre do próximo ano.

O West Ham, cujo estádio Upton Park fica localizado próximo ao local onde será erguido o novo estádio, ao custo de 833 milhões de dólares, foi o primeiro time a demonstrar interesse.

Posteriormente, o Tottenham, que é vinculado à gigante de entretenimento AEG, apresentou uma oferta, apesar de ter planos para erguer um estádio próprio com capacidade para 56 mil torcedores ao lado de seu atual campo, o White Hart Lane.

"Estamos muito contentes com o interesse sério que foi demonstrado no estádio", disse, em comunicado, Margarte Ford, responsável pelo legado da Olimpíada. "Começamos este processo para assegurar o melhor legado para o estádio, e agora estamos num momento em que selecionamos as duas ofertas mais fortes", acrescentou.

Originalmente, o Estádio Olímpico foi projetado com capacidade para 80 mil lugares, mas depois teria sua dimensão reduzida a 25 mil pessoas, para se tornar uma arena de atletismo.

Com o interesse dos clubes, a futura capacidade do estádio ficaria em torno de 55 mil espectadores. Os atuais estádios do Tottenham e do West Ham têm capacidade para 35 mil pessoas.

Embora tenha interesse no Estádio Olímpico, Tottenham tambem estuda a construção de um novo estádio
Embora tenha interesse no Estádio Olímpico, Tottenham tambem estuda a construção de um novo estádio
Foto: Reuters
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
publicidade