PUBLICIDADE

Dono da Lazio, Hernanes já impressiona Itália e lembra Verón

29 out 2010 15h15
| atualizado às 15h33
Publicidade
Dassler Marques

Juan Sebastián Verón passou por vários clubes médios, como Estudiantes, Parma, Sampdoria e Lazio, sendo que no último particularmente construiu em duas temporadas uma história de glórias. Foram quatro títulos nesse período, incluído um dos dois únicos títulos italianos da história dos torcedores laziali. Ao partir para o Manchester United, sepultou em Roma a fama de jogador que elevou a camisa celeste a outro patamar.

É exatamente isso que vem fazendo o brasileiro Hernanes em seus primeiros meses de futebol italiano. Segunda maior contratação da Lazio desde 2001, o ex-são-paulino custou 12,5 milhões de euros (cerca de R$ 30 milhões), mas tem feito valer cada centavo. Líder do Italiano com uma equipe modesta, vem elevando os planos de um clube que se daria completamente por feliz em terminar entre os quatro primeiros.

Para uma parte considerável da imprensa italiana, Hernanes é o melhor jogador da competição que, na verdade, está apenas no início. Não se tira do brasileiro, deslocado para a função de meia-atacante, o mérito de em pouco tempo ter transformado as ambições da Lazio. Exatamente como fez Verón entre 1999 e 2001.

Em entrevista exclusiva ao Terra, ele conta mais sobre esse sucesso no futebol italiano. Confira na íntegra:

Terra - O presidente Claudio Lotito diz ter perdido algumas noites em claro para te contratar. Você era um sonho pessoal dele?
Hernanes - Não foi nesse sentido. É que realmente a negociação foi um pouco difícil porque havia muitas pessoas participando, que tinham direito, era muita gente. Tivemos que sentar com todo mundo e não foi fácil. Realmente ele passou noites em claro para formalizar minha contratação.

Os direitos de Hernanes eram repartidos por ele próprio, o empresário Joseph Lee, o São Paulo (dono de 75%) e a Traffic

Terra - O investimento realizado pela Lazio na sua contratação também é muito alto para os padrões de um clube médio da Itália. Você sente uma responsabilidade maior?
Hernanes - Encaro tranquilo, porque me encontrava em uma fase mais experiente e amadurecido para uma nova etapa como essa.

Terra - O impacto de sua chegada já é comparado ao de Verón, que liderou o time para o título italiano em 2000. Como recebe isso?
Hernanes - Fico feliz de ser comparado a um grande jogador, que fez história. Mas sempre tenho uma convicção: cada jogador tem suas características pessoais. Por mais que se compare a função e a técnica, é um pouco diferente.

Terra - Depois da última vitória, a Lazio já tem seu melhor início de Campeonato Italiano na história, melhor até do que da temporada de título em 1999/2000. Não se imaginava o time brigando pelo título. Já mudou a expectativa do clube após esses oito jogos?
Hernanes - Apesar de termos começado muito bem, são oito jogos e ainda faltam 30. É muita coisa. Mas nos dá motivação para continuar nesse caminho. É ir jogo a jogo, tentando continuar com esse bom desempenho e com a mesma vontade dentro de campo.

Terra - É possível explicar objetivamente por que as coisas têm dado tão certo para você e para a Lazio?
Hernanes - Objetivamente, não dá. Se parar para pensar, tem muitas coisas que somam. São alguns ingredientes misturados, mas vamos lá: acima de tudo, minha fé em acreditar nos meus princípios e fazer as coisas certas.

Também acho que saí na hora certa, estava experiente e maduro, cheguei e fui muito bem recebido por todos. E minha mulher tem sido uma guerreira, chegamos aqui e não tinha ninguém para ajudar. Ela cuida das coisas e me deixa tranquilo para trabalhar.

Terra - Você é apontado como o principal jogador do time. Já assumiu essa responsabilidade e entra em campo consciente disso? Os outros jogadores te procuram em campo quando a coisa aperta?
Hernanes - A responsabilidade está bem dividida. O time é de muita qualidade, os jogadores são de muito alto nível. Por isso a equipe toda está muito bem.

Terra - Como é o treinador Edy Reja, que está no ápice da carreira aos 65 anos?
Hernanes - É um excelente treinador. Como se diz, sabe conduzir o grupo, sabe manter a disciplina e acho que isso é importantíssimo. No trabalho de campo, tem sido muito inteligente, tem colocado o time ofensivamente. É um grande treinador e, como pessoa, nem se fala. O cara é um gentleman.

Terra - Você vem jogando mais à frente, nem tanto como volante. Como ele tomou essa decisão? Ele sabia que você jogava mais atrás no futebol brasileiro?
Hernanes - Conversamos sobre isso. E nos treinamentos, ele começou a me colocar, foi dando certo e aí encarei bem. Porque eu queria melhorar em algumas coisas, como o cabeceio e a performance jogando de costas para a marcação. Essa é a oportunidade que estou tendo para melhorar.

Terra - No São Paulo, quando você precisou jogar mais avançado, não rendeu tanto quanto de segundo volante. Na Lazio, deu certo. Por que não funcionou no Brasil?
Hernanes - Muito devido à minha inexperiência. Quando eu jogava na frente, ficava preocupado, achava que não daria certo jogando de costas, e essa preocupação acabou me minando. Agora estou mais experiente, mais maduro. Se tiver que jogar de costas, de frente, na lateral ou no meio, sei que vou ajudar a equipe, vou render. Essa preocupação me tirou um peso grande e fico tranquilo para jogar.

Terra - Dizem que o André Dias te indicou para a Lazio. Ele tem essa moral toda por aí?
Hernanes - Realmente, ele está muito bem aqui e faz um belo campeonato. Ele teve uma participação porque o pessoal quis tirar informação e ele falou positivamente a meu respeito. Tenho que dar uma porcentagem para ele (risos).

Terra - Vem se comentando que o Miranda poderia ser o próximo. O que há de verdade nisso?
Hernanes - Há muita notícia sim, mas até agora não houve nada de mais concreto. Até agora não houve mais do que isso.

Terra - Você realmente teve propostas da Inter e do Milan antes de ser negociado com a Lazio?
Hernanes - Teve algumas conversas, mas não sei o que realmente aconteceu. Mais do que isso não posso falar.

Terra - Quais foram os jogadores que você viu em ação e te impressionaram na Itália?
Hernanes - Com Robinho, Ronaldinho e Pato, já havia jogado. Mas houve o Ibrahimovic, que eu gostava muito e fez um dos gols mais bonitos que já vi. Pirlo e Seedorf, que são grandes jogadores, e o Gattuso também eu já admirava.

Terra - O que se fala do início do Phillipe Coutinho na Itália?
Hernanes - Estive com ele na Seleção, é um grande jogador. Quando tem entrado, joga bem. Mas estou sem televisão em casa, sem canal de jogos. Estou como vocês do Brasil, só leio as coisas na internet.

A evolução nos números de Hernanes no São Paulo

2007 - 45 jogos, 5 gols e 1 assistência
2008 - 53 jogos, 7 gols e 3 assistências
2009 - 57 jogos, 10 gols e 17 assistências
2010 - 42 jogos, 10 gols e 7 assistências

Os números de Hernanes na Lazio

2010/11 - 8 jogos, 2 gols e assistências

Hernanes comanda a armada da Lazio, líder do Campeonato Italiano
Hernanes comanda a armada da Lazio, líder do Campeonato Italiano
Foto: Getty Images
Fonte: Redação Terra
Publicidade