3 eventos ao vivo

Veja o drama de 15 jogadores que não foram à Copa por lesão

15 mar 2010
11h26
atualizado às 18h09
Filipe Lima

Neste domingo, o meia David Beckham teve uma má notícia. O inglês sofreu uma ruptura no tendão de Aquiles durante partida do Milan, e sua recuperação deve demorar de três a quatro meses. Em outras palavras, ele não voltará aos campos a tempo de disputar a próxima Copa do Mundo.

O Mundial está repleto de casos parecidos com o de Beckham. Diversos jogadores que pareciam certos na principal competição do futebol tiveram seus sonhos terminados por lesões de última hora. O Terra lista 15 atletas que passaram por essa mesma decepção.

Careca - Em 1982, o jovem Careca era a principal esperança de gols do Brasil de Telê Santana. Nas vésperas da Copa, ele sentiu um estiramento e teve que ser tirado da lista brasileira. Pela segunda vez consecutiva, Roberto Dinamite foi convocado de última hora (em 1978, ele substituíra o atacante Nunes). O titular do ataque na Espanha foi Serginho Chulapa.

Clodoaldo - Titular da histórica Seleção Brasileira de 1970, Clodoaldo era nome certo para defender o País em 1974. Porém, o Brasil, que já não contava com vários nomes importantes do título conquistado no México, perdeu o camisa 5 para a Copa da Alemanha. Já em solo europeu, o volante do Santos sentiu um estiramento na coxa esquerda e foi cortado por Zagallo. Seu substituto foi o atacante Mirandinha, do São Paulo - Piazza, zagueiro em 1970, foi deslocado para seu lugar no meio-campo.

Djibril Cissé - Cissé foi convocado por Raymond Domenech para a Copa de 2006. Dias antes da estreia da França no Mundial, em um amistoso contra a China, o atacante fraturou a perna após entrada do jogador Zheng Zhi. O então com a camisa 9 deixou o campo chorando de dor e foi cortado. David Trezeguet foi chamado às pressas para substituí-lo.

Edmílson - Em 2006, o zagueiro e volante Edmílson era nome frequente nas convocações de Carlos Alberto Parreira. Já na preparação para a Copa, o jogador sentiu incômodos durante um amistoso. Exames constataram ruptura no menisco do joelho direito do atleta. Em prantos, ele foi cortado do Mundial. O volante Mineiro, do São Paulo, foi seu substituto.

Fabrizio Ravanelli - O atacante estava com boa passagem pelo Middlesbrough e era presença certa na seleção italiana que participaria da Copa do Mundo de 1998. Porém, uma pneumonia tirou suas chances de ir à França. Chiesa foi seu substituto. Ravanelli não voltaria a vestir a tradicional camisa azul pelo resto de sua carreira.

Juninho Paulista - O meia era considerado presença certa para a Copa de 1998. Quatro meses antes do torneio, ele levou entrada violenta do lateral espanhol Michel Salgado, fraturando a perna. Mesmo recuperado clinicamente, o jogador acabou não convencendo Zagallo e ficou fora da lista final. Juninho ainda participou da equipe campeã de 2002, começando como titular e perdendo espaço durante o torneio para Kléberson.

Marco van Basten - Eleito o melhor jogador da Europa pela France Football em 1988, 89 e 92, Van Basten era o principal nome de uma ótima safra de jogadores holandeses. A carreira do atacante, entretanto, foi marcada por problemas com lesões, especialmente nos tornozelos. Para a Copa de 1994, o treinador Dick Advocaat esperou pelo atacante, que não conseguiu recuperação e, por isso, não pode ir aos Estados Unidos. Pouco depois, ele se aposentaria definitivamente do futebol, com apenas 30 anos.

Michael Owen - Não é somente David Beckham que está sofrendo o drama de não poder representar a Inglaterra na África do Sul. Michael Owen, do Manchester United, sofreu lesão na coxa em partida contra o Aston Villa, no fim de fevereiro. A contusão do atacante, que tem largo histórico de problemas físicos, foi considerada grave, e o jogador não terá condições de retornar aos campos a tempo de ir à Copa.

Ricardo Gomes - O atual treinador do São Paulo também viveu a experiência de estar próximo de um Mundial e ter sua participação frustrada por contusão. Já nos Estados Unidos, Ricardo Gomes sofreu lesão muscular em amistoso contra El Salvador e ficou sem condições para continuar no elenco do Brasil. Para seu lugar, Carlos Alberto Parreira chamou Ronaldão.

Robert Pires - Um dos jogadores-chave do esquema de Roger Lemerre, Pires ficou de fora da Copa do Mundo de 2002 após sofrer lesão no joelho. Lemerre tentou vários substitutos, como Wiltord e Djorkaeff, mas a França perdeu muito com a ausência do meia do Arsenal durante o torneio da Ásia. Em 2006, o jogador também não foi à Copa, e reclamou que Domenech não o chamava por ele ser do signo de escorpião.

Romário - O Brasil chegava à Copa de 1998 com um ataque dos sonhos, formado por Romário e Ronaldo. No ano anterior ao Mundial, os dois foram destaque da Seleção durante a Copa das Confederações, com o então jogador do Flamengo tendo sido artilheiro do torneio, com sete gols. Porém, o sonho brasileiro de assistir à dupla na França acabou quando Romário, lesionado, foi cortado pelo treinador Zagallo e o auxiliar Zico. O jogador garantiu, em entrevista, que estaria recuperado da contusão a tempo de disputar as fases agudas do torneio, e que poderia ficar no grupo. De nada adiantou: Emerson foi convocado para seu lugar.

Emerson - O jogador que ganhou a vaga no último momento em 1998 teve situação inversa na Copa seguinte. Durante um treino de preparação para a Copa de 2002, enquanto brincava de goleiro durante um rachão, Emerson deslocou o ombro e foi cortado do grupo de Luiz Felipe Scolari. O volante, que seria capitão do Brasil na Ásia, deu lugar ao meia Ricardinho, do Corinthians, e deixou a tarja de capitão ao lateral Cafu, que levantou a taça em Yokohama.

Salvador Cabañas - Cabañas é um dos principais nomes do futebol paraguaio na atualidade. No Brasil, o atacante é conhecido por ser carrasco do futebol brasileiro: além de ter marcado gol na Seleção em partida das Eliminatórias, ele ajudou o América do México a eliminar Flamengo e Santos da Libertadores de 2008, ano em que ele foi artilheiro do torneio continental. Em janeiro, no México, ele levou um tiro na cabeça. Ainda em começo de recuperação, suas chances de ir à África do Sul são mínimas.

Santiago Cañizares - O goleiro, que atuava pelo Valencia em 2002, seria o titular da seleção espanhola na Copa do Mundo da Coreia do Sul e do Japão. Mas, pouco antes da competição, ele se lesionou de um modo curioso: enquanto estava na concentração, ele derrubou um vidro de perfume no pé e se machucou. Cortado, Cañizares deu sua vaga a Iker Casillas. Desde então, o camisa 1 do Real Madrid tomou conta do gol da Espanha.

Sebastian Deisler - Considerado um dos grandes talentos do futebol alemão da época, Deisler não teve chance de disputar uma Copa do Mundo por seu país. Tanto em 2002 quanto em 2006, ele ficou de fora da lista da seleção por contusões no joelho. Os seus cortes causaram problemas depressivos, que, mais tarde, levariam o atleta à aposentadoria com apenas 27 anos.

De muletas, lesionado Beckham está fora da Copa do Mundo da África do Sul
De muletas, lesionado Beckham está fora da Copa do Mundo da África do Sul
Foto: AFP
Fonte: Especial para Terra
publicidade