0

Arsenal inibe "temido" Barcelona e consegue virada em Londres

16 fev 2011
19h33
atualizado às 20h27

O ditado popular de que o feitiço vira contra o feiticeiro pela primeira vez atingiu o Barcelona, equipe mais empolgante do futebol mundial na atualidade. Nesta quarta-feira, a equipe de Josep Guardiola sofreu pressão e viu o adversário dominar o controle da bola durante todo o segundo tempo. Consequentemente, o revés ocorreu. Em Londres, o time catalão perdeu para o Arsenal por 2 a 1, de virada, no primeiro confronto válido pelas oitavas da Liga dos Campeões da Europa.

Também conhecido por desempenhar um futebol bonito e envolvente, o Arsenal conseguiu a difícil missão de parar o Barcelona, ainda mais depois de uma primeira etapa complicada, com domínio da posse de bola e do placar - David Villa fez 1 a 0 - por parte do clube catalão, em pleno campo da equipe comandada por Arséne Wenger.

No entanto, o treinador francês mudou a partida na segunda etapa. Em sua primeira substituição, Wenger colocou o russo Andrei Arshavin, que modificou o panorama do jogo. Com o meia-atacante, Césc Fábregas recuou e teve participação fundamental no jogo. Robin Van Persie, aproveitando falha de Victor Valdés, empatou, e o camisa 23, nascido na ex-república soviética, virou.

O resultado positivo dentro de casa permite ao Arsenal, em busca do primeiro título continental da história, empatar o confronto de volta, marcado para o dia 8 de março, no Camp Nou, para seguir na Liga dos Campeões. O Barcelona, por outro lado, precisa de uma vitória simples na Espanha para avançar às quartas de final da principal competição europeia.

Enquanto não se encontram pelo torneio, Arsenal e Barcelona retomam o foco nos campeonatos nacionais. A equipe londrina volta a campo na segunda, quando terá pela frente o Leyton Orient, da terceira divisão, pela quinta rodada da Copa da Inglaterra. Já os catalães recebem, no domingo, o Athletic de Bilbao, em duelo pela liga nacional.

O jogo

Arsenal e Barcelona entraram em campo com a responsabilidade de fazerem uma partida técnica, rápida e bonita. As duas equipes, caracterizadas pelo estilo de jogo envolvente e insinuante, iniciaram o confronto justamente com esta base, especialmente o time inglês, que avançou a marcação em busca de neutralizar o clube de Lionel Messi, Andrés Iniesta e Xavi.

Apostando nas jogadas em velocidade, o Arsenal não demorou para assustar o Barcelona, desfalcado do capitão Carles Puyol ¿ por motivo de lesão. Logo aos 5min, Césc Fábregas recebeu na intermediária com liberdade e deu uma linda cavadinha para o holandês Robin Van Persie. O atacante da equipe inglesa soltou a bomba, mas o goleiro Victor Valdés alcançou a bola e afastou o perigo.

O choque inicial implantado pela equipe londrina, no entanto, não surtiu efeito. Experiente e acostumado a dominar os adversários até mesmo fora de casa, o Barcelona respirou, manteve a posse de bola e quase marcou aos 14min. David Villa deu um grande passe e colocou Messi completamente livre dentro da área. O argentino ameaçou chutar e conseguiu enganar o goleiro Wojciech Szczesny; no entanto, o toque de categoria do melhor do mundo raspou a trave esquerda do Arsenal.

Quando Messi retribuiu o favor, David Villa, por sua vez, não desperdiçou a oportunidade. O atacante espanhol apareceu livre de marcação, aos 26min, na entrada da área, após bom passe do argentino, e bateu na saída do goleiro polonês do Arsenal para tirar o zero do marcador no duelo com os ingleses.

Atrás no marcador e vendo a situação de complicar no confronto, o Arsenal voltou para a segunda etapa com postura mais ofensiva em campo e passou os primeiros minutos pressionando o Barcelona em seu campo de defesa,dando uma amostra do que se tornou o jogo nos 45min decisivos.

Apesar do ótimo nível de jogo e da pressão sobre a defesa barcelonista, o Arsenal empatou apenas aos 33min. O lateral esquerdo Gael Clichy descolou um lindo passe para o holandês Robin Van Persie pela ponta esquerda. Sem ângulo, o camisa 10 soltou uma bomba e surpreendeu Valdés, que se posicionava para cortar um possível cruzamento.

O gol tornou o Emirates Stadium um caldeirão. A pressão do Arsenal empolgou os torcedores. E, desta forma, um dos principais responsáveis pelo bom momento do time inglês no jogo acabou recompensado. Fábregas, ainda no campo defensivo, fez um longo lançamento para o francês Samir Nasri, que carregou para dentro da área e rolou para Andrei Arshavin bater firme e decretar a vitória.

Com informações da Gazeta Esportiva

Arshavin (dir) anotou o segundo gol e decretou a vitória do Arsenal diante do Barcelona
Arshavin (dir) anotou o segundo gol e decretou a vitória do Arsenal diante do Barcelona
Foto: AFP
Fonte: Terra
publicidade