0
Logo do Liga dos Campeões
Foto: Terra

Liga dos Campeões

Nos pênaltis, Apoel bate Lyon e faz história na Liga dos Campeões

7 mar 2012
19h25
atualizado às 20h35

O Apoel precisou de 120 minutos e mais cobranças de pênaltis para garantir a inédita classificação às quartas de final na Liga dos Campeões. Depois de vencer por 1 a 0 no tempo normal, o time cipriota ganhou do Lyon por 4 a 3 nas penalidades, nesta quarta-feira, no Neo GPS, no jogo de volta das oitavas de final.

Como o Lyon ganhou a partida de ida na França por 1 a 0, a vitória mínima do Apoel forçou a prorrogação e os pênaltis, posteriormente após o placar inalterado no tempo extra. Na decisão por penalidades, o goleiro grego Chiotis defendeu as cobranças de Lacazete e do brasileiro Michel Bastos para colocar pela primeira vez uma equipe do Chipre nas quartas de final da Liga dos Campeões.

A melhor participação, até então, do Apoel na Liga dos Campeões tinha acontecido na temporada 2009/10. Na ocasião, a equipe terminou sem vencer e em último lugar na chave composta por Chelsea, Porto e Atlético de Madrid.

Já o Lyon foi eliminado pela quinta vez nas últimas seis temporadas na fase de oitavas de final da Liga dos Campeões. Depois de perder para grandes equipes do futebol europeu, como Roma, Manchester United, Barcelona e Real Madrid, a equipe dos brasileiros Cris, Ederson e Michel Bastos dá adeus ao principal torneio do continente com um revés para um time inexpressivo no cenário europeu.

O Apoel não demorou e abriu o marcador em Nicósia aos 8min do primeiro tempo. Charalambides aproveitou rebote, entrou na área e finalizou cruzado. Gustavo Manduca foi mais esperto que o marcador e se atirou para empurrar a bola para dentro de gol de carrinho. O equilíbrio e as chances desperdiçadas marcaram a partida, que foi à prorrogação e a definição por penalidades.

Com a classificação, o Apoel se junta ao atual campeão Barcelona, Milan e Benfica nas quartas de final da Liga dos Campeões. A Uefa realizará um sorteio para definir os confrontos da próxima fase e o caminho que cada equipe terá para chegar a decisão em na Allianz Arena, em Munique, no dia 19 de maio.

Agora concentrados nos respectivos campeonatos nacionais, as equipes voltam a campo no fim de semana. Terceiro colocado do Campeonato Cipriota com 49 pontos, o Apoel recebe o Enosis no mesmo no Neo GSP, na segunda-feira. Dois dias antes, o Lyon encara o atual campeão Lille no Gerland.

O jogo

O Apoel entrou em campo precisando de dois gols para conquistar diretamente a histórica classificação às quartas de final da competição. E os cipriotas começaram com tudo e precisaram de apenas oito minutos para abrir o marcador. Após lançamento do zagueiro, Solari dominou no peito na entrada da área, mas caiu no chão após choque com o marcador. A bola sobrou para Charalambides dominar, invadir a área pelo lado direito e bater cruzado para o meio. O brasileiro Gustavo Manduca foi mais rápido que o marcador para completar para as redes de carrinho.

A atmosfera, que estava à favor dos donos da casa, ficou ainda mais hostil para a equipe francesa. Para evitar o placar que levaria a decisão para os pênaltis, o Lyon conseguiu sair aos poucos da pressão imposta pelos cipriotas e conseguiu ameaçar o gol adversário em cobranças de falta. Aos 19min, o brasileiro Michel Bastos cobrou falta rasteira e o goleiro grego Chiotis defendeu. Cinco minutos depois, o arqueiro fez ótima defesa. O brasileiro cobrou falta pelo lado esquerdo direito para o gol. A bola ia encobrindo o camisa 22 do Apoel que se esticou e conseguiu espalmar por cima do travessão.

As chances dos visitantes não diminuíram o ímpeto do Apoel, que continuou mais perigoso. Aos 26min, o brasileiro Aílton lançou para Charalambides pela direita. O camisa 10 avançou e chutou direto sem ângulo, tentando surpreender Lloris. Os dois times passaram a encontrar mais dificuldades para passar pelo bloqueio defensivo, mas, ainda assim, o Lyon teve ótima chance de igualar o marcador. Michel Bastos cruzou da esquerda e o compatriota Ederson apareceu livre na área para cabecear para fora.

A última oportunidade de gol dos primeiros quarenta e cinco minutos aconteceu aos 41min. O argentino Solari recebeu lançamento pela esquerda de Charalambides, dominou e finalizou forte. O goleiro Lloris saiu bem do gol e defendeu o arremate com os pés. Apesar das boas chances de gols criados pelos times, o primeiro tempo acabou com o Apoel em vantagem por um gol.

O segundo tempo começou truncado, com os times abusando das faltas. Quando a bola conseguia rolar, o Lyon tinha a posse de bola, mas o Apoel respondia nos contra-ataques, quase sempre pelo lado esquerdo do ataque. E o segundo gol do time cipriota parou no travessão da meta defendida pelo arqueiro do clube francês. Nuno Gomes cobrou falta na área, o lateral Cissokho tentou afastar a bola e quase marcou contra.

Com o passar dos minutos, a partida ficou ainda mais franca. Aos 25min, Charalambides fez jogada pelo lado direito e cruzou para a área. Solari desviou na primeira trave e por muito pouco não aumentou a vantagem. A reposta do Lyon aconteceu dois minutos depois. O lateral Réveillere cruzou da direita e o argentino Lisandro López cabeceou para grande defesa do goleiro Chiotis.

Menos desgastado, o Apoel passou a ter mais posse de bola nos minutos finais e desperdiçou a última grande chance do tempo regulamentar. O atacante Aílton arriscou de fora para defesa de Lloris aos 43min. Com o 1 a 0 para o time cipriota, a decisão da vaga às quartas de final foi para o tempo extra.

Se a partida nos primeiros noventa minutos foi aberta, a prorrogação começou com o Lyon melhor. Aos 2min, o sueco Källstrom lançou a bola na área em cobrança de falta. O zagueiro Paulo Jorge tentou afastar, mas acabou desviando para trás e quase marcou contra as próprias redes. Quatro minutos depois, Gomis fez boa jogada pela esquerda e cruzou. Chiotis saiu errado do gol e quase que a bola sobra para um atleta da equipe francesa dentro da área.

Se no primeiro tempo da prorrogação os franceses ditaram o ritmo, o Apoel melhorou no segundo tempo, apostando nos contra-ataques. Mas aos 10min, Gustavo Manduca recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso pelo árbitro Undiano Mallenco. Como as equipes não balançaram as redes no tempo extra, a decisão para a vaga às quartas de final foi decidida nos pênaltis.

Nas penalidades, Aílton, Nuno Morais, Alexandrou e Trickovski converteram para o Apoel. Källstrom, Lisandro López e Gomis marcaram os pênaltis para o time francês, mas o goleiro Chiotis defendeu as cobranças de Lacazette e do brasileiro Michel Bastos e se tornou no herói da classificação do time cipriota.

É a primeira vez que uma equipe cipriota avança às quartas de final da principal competição de clubes europeia
É a primeira vez que uma equipe cipriota avança às quartas de final da principal competição de clubes europeia
Foto: AFP
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade