1 evento ao vivo
Logo do Liga dos Campeões
Foto: Terra

Liga dos Campeões

Shakhtar Donetsk e Borussia Dortmund fazem duelo de sensações da 'Champions'

12 fev 2013
15h58
atualizado às 16h00

Duas das principais sensações da fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa, Shakhtar Donetsk e Borussia Dortmund, se enfrentam a partir desta quarta-feira, na Donbass Arena, lutando para garantir um surpreendente lugar entre os oito melhores times de futebol do 'Velho Continente'.

A equipe ucraniana e a alemã, entraram na competição como candidatas a coadjuvantes, em chaves que tinham favoritos mais destacados. O Shakhtar caiu no grupo E, e ficou a frente da tradicional Juventus, do atual campeão da 'Champions', o Chelsea, e o dinamarquês Nordsjaelland.

O Borussia, por sua vez, caiu no grupo D, apontado como o "grupo da morte" logo após o sorteio. A equipe de Jurgen Klopp, não se intimidou com isso, e com um futebol envolvente terminou, de forma invicta, como líder a frente de Real Madrid, Ajax e Manchester United.

O time de Donetsk, no entanto, vai tentar chegar pela segunda vez às quartas de final - a primeira foi na temporada 2010/2011 - sem seu maior destaque na fase inicial, o meia William, ex-Corinthians, vendido por 30 milhões de euros para o Anzhi, da Rússia. O clube se mexeu e trouxe Taison, ex-Internacional, junto ao Metalist Kharkiv.

Mesmo com a baixa do meia, os brasileiros seguem sendo a principal força ofensiva da equipe, já que da linha de defesa para a frente, Fernandinho, Ilsinho, Alex Teixeira e Luiz Eduardo foram titulares durante boa parte da fase de grupos.

O ex-volante do Atlético Paraense é titular absoluto do time, os ex-jogadores de São Paulo e Vasco se revezam, atuando aberto na ponta direita, enquanto o ex-centroavante do Internacional é outro frequente integrante do onze titular, que volta após cumprir um jogo de suspensão, por burlar o fair play, contra o Nordsjaelland.

O Borussia Dortmund, por sua vez, volta a disputar uma fase eliminatória depois de 15 anos. A última participação em "mata-mata" foi na temporada 1997/1998, quando caiu nas semifinais, diante do Real Madrid. Naquele ano, o clube chegou a eliminar o rival Bayern de Munique, nas quartas.

A equipe vem de uma derrota expressiva, jogando dentro de casa, para o Hamburgo, por 4 a 1, pelo Campeonato Alemão. Para piorar, o técnico Jurgen Klopp vem sofrendo com lesões no elenco, que fizeram com que o seu time titular pouco atuasse desde o retorno da paralisação de inverno da competição nacional.

Para a partida desta quarta-feira, Ilkay Gündogan, com lesão na coxa já está vetado. Marcel Schmelzer e Kevin Grosskreutz, que sofreram com gripes nos últimos dias, devem ficar a disposição. A principal dúvida é Neven Subotic, que mesmo recuperado de lesão na panturrilha, ainda não está 100% fisicamente. Com isso, Felipe Santana, ex-Figueirense, pode aparecer na equipe titular.

A história de confrontos entre Shakhtar Donetsk e Borussia Dortmund tem apenas duas partidas, disputadas em agosto de 2001, pela terceira fase preliminar da Liga dos Campeões. Foram duas vitórias do time alemão, por 2 a 0 na ida, na Ucrânia, e por 3 a 1, em casa. O terceiro gol da vitória foi anotado pelo atacante brasileiro Amoroso.

Se o retrospecto direto é ruim para o time do Leste Europeu, o time pode confiar nos duelos que fez desde então com equipes alemãs em competições continentais. Foram cinco partidas de 2001 para cá, com quatro vitórias e um empate. No jogo mais importante, o Shakhtar venceu o Werder Bremen, em Istambul, por 2 a 1, e conquistou a Liga Europa.

Prováveis escalações:

Shakhtar Donetsk: Pyatov; Srna, Chygrynskiy, Rakytskyy e Rat; Hubschmann, Fernandinho, Alex Teixeira (ou Ilsinho), Mkhitaryan e Douglas Costa (ou Taison); Luiz Adriano. Técnico: Mircea Lucescu.

Borussia Dortmund: Weidenfeller; Piszczek, Subotic (ou Felipe Santana), Hummels e Schmelzer; Kehl, Bender, Blaszczykowski, Götze e Reus; Lewandowski. Técnico: Jurgen Klopp.

Árbitro: Howard Webb (Inglaterra), auxiliado pelos compatriotas Michael Mullarkey e Darren Cann.

Estádio: Donbass Arena, em Donetsk (Ucrânia).

EFE   
publicidade