2 eventos ao vivo

Sem atacante, Espanha reage e busca empate contra Itália em estreia

10 jun 2012
14h49
atualizado às 17h09
Dassler Marques
Direto de Gdansk (Polônia)

Atual campeã europeia e mundial, a Espanha não teve moleza em sua estreia na Eurocopa 2012, neste domingo, na Arena Gdansk. Afinal, do outro lado estava uma nova Itália de Cesare Prandelli, time que equilibrou as ações em vários momentos, saiu em vantagem e deixou a primeira rodada com honras pelo empate por 1 a 1. O jogo é válido pelo Grupo C, que ainda tem Irlanda x Croácia neste domingo.

» Veja gols em 3D: Espanha 1 x 1 Itália

Del Bosque causou surpresa ao optar por Fàbregas como um falso centroavante enquanto todos esperavam por Negredo ou Fernando Torres, que só foi a campo aos 27min da etapa final. O resultado foi um time que teve pouco poder de fogo em vários momentos. A Itália abriu o marcador com Di Natale e coube a Fàbregas igualar quatro minutos depois.

O duelo entre as duas últimas campeãs mundiais, e que se pegaram nas quartas de final da Euro 2008, no fim das contas, teve um empate justo. Posse de bola com 60% para os espanhóis, que também concluíram mais e exigiram mais defesas de Buffon, mas com uma Itália que se mostrou fortalecida após queda na primeira fase da Copa 2010 e problemas internos importantes.

As duas seleções voltam a jogar na próxima quinta-feira. A Espanha, novamente em Gdansk, tem a Irlanda pela frente. Já a Itália vai Poznan, também na Polônia, enfrentar a Croácia.

A surpresa de Del Bosque e a boa estreia italiana

Vicente del Bosque tinha três opções para o ataque: Llorente, desgastado mas de grande temporada pelo Athletic Bilbao. Fernando Torres, o mais experiente. Ou Negredo, o mais rápido. Optou pela quarta alternativa. Mandou a campo em Gdansk um time sem atacantes, com surpreendentemente Cesc Fàbregas entre os titulares. Privilegiou a qualidade técnica da equipe, mas faltou poder de fogo.

Nos 45 minutos iniciais, foi a Itália de Cesare Prandelli que aplicou melhor sua proposta, foi ousada em alguns momentos apesar da escalação cautelosa e teve as principais ocasiões. Os italianos, donos da segunda melhor posse de bola nas Eliminatórias - atrás dos espanhóis, claro, chegaram a ter 50% de posse em alguns momentos.

Com De Rossi posicionado entre Bonucci e Chiellini, dois alas bem espetados à frente e uma trinca de volantes, a Itália deu poucas chances à Espanha. O time chegou próximo da área com perigo em muitos momentos, mas quase todas finalizações saíram truncadas ou fracas, sobretudo com David Silva. Ocasião clara, mesmo, só aos 44min. Xavi passou por elevação e Iniesta bateu por cima, perto do travessão.

Já os italianos foram muito incisivos. Aos 21min, Cassano recebeu na área e bateu cruzado - a bola saiu para fora, perto da trave, perto de Balotelli que chegava para tentar concluir. Aos 33min, de novo Cassano: ele invadiu a área e chutou firme para Casillas, com dificuldades, espalmar. Motta, aos 44min, teve a melhor ocasião de cabeça, livre na área. Prevaleceu Casillas.

A Espanha voltou sem alterações, mas melhor para a segunda etapa. Em 5min, Fàbregas, Xavi e Iniesta já haviam concluído com bastante perigo, mas nenhuma bola a superar Buffon. A réplica italiana deveria vir com Balotelli, mas não veio. Ele roubou boa bola de Sergio Ramos pela ponta, desceu livre até a entrada da pequena área e demorou tanto a bater que foi desarmado. Indolente, deixou o campo um minuto depois.

Seu substituto rapidamente mostrou estrela. Di Natale, que havia perdido pênalti contra a Espanha na Euro 2008, recebeu lindo passe de Pirlo às costas de Piqué e chutou com classe. A vantagem, aberta aos 14min, iria por água abaixo só quatro minutos depois. Inteligente, Silva recebeu na entrada da área e tocou de primeira para Fábregas empatar.

Sem muita força nos minutos seguintes, a equipe espanhola recebeu um centroavante aos 27min. Fernando Torres entrou logos após Jesús Navas, e dois criariam ótima chance. Navas serviu o camisa 9 em contragolpe, mas Buffon saiu bem. Giovinco, outra novidade, também se apresentou na sequência. Um lindo lançamento encontrou Di Natale, mas seu chute foi fora.

A presença de Torres se mostrou produtiva para a equipe. Ele foi lançado por Xavi em velocidade e acertou um lindo toque por cobertura, mas a bola não entrou por um detalhe. Marchisio ainda invadiu a área com espaço e perdeu, Xabi Alonso também tentou bonito de fora, mas o destino apontou para um empate. Justo pelo equilíbrio em campo.

Ficha técnica

ESPANHA 1 x 1 ITÁLIA

Gols
ESPANHA: Fàbregas, aos 18min do segundo tempo

ITÁLIA: Di Natale, aos 14min do segundo tempo

ESPANHA: Casillas; Arbeloa, Piqué, Sergio Ramos e Alba; Busquets, Xabi Alonso e Xavi; David Silva (Jesús Navas), Fabregas e Iniesta
Treinador: Vicente del Bosque

ITÁLIA: Buffon; Bonucci, De Rossi e Chielini; Maggio, Pirlo, Thiago Motta (Nocerino), Marchisio e Giaccherini; Cassano (Giovinco) e Balotelli (Di Natale)
Treinador: Cesare Prandelli

Cartões amarelos
ESPANHA: Alba, Torres, Arbeloa
ITÁLIA: Balotelli, Bonucci, Maggio, Chiellini

Árbitro
Viktor Kassai (Hungria)

Local
Arena Gdansk, em Gdansk



Fonte: Terra
publicidade