Um ano após tragédia, Al Ahly vence no reinício do Campeonato Egípcio

atualizado às 14h39
  • separator
  •  
  • comentários

O Campeonato Egípcio de futebol foi retomado neste sábado, um ano após ter sido suspenso devido à morte de 74 pessoas em uma partida na cidade de Port Said entre o time local Al Masry e o Al Ahly. Às 16h locais (12h de Brasília), começou o primeiro duelo desta temporada, em que o Al Ahly derrotou o Ghazl al Mahala por 1 a 0 no Estádio 30 de Junho, na capital Cairo, construído pela Defesa Aérea. A partida foi disputada com portões fechados por motivos de segurança.

 Foto: Mohamed Darwich / Reprodução
Há um ano, após uma briga entre as torcidas, 74 torcedores morreram, em circunstâncias que ainda carecem de explicações
Foto: Mohamed Darwich / Reprodução

Antes do reinício do torneio, foi respeitado um minuto de silêncio em memória das vítimas do massacre de Port Said, que completou um ano nesta sexta-feira. O gesto será repetido em todos os jogos do fim de semana.

Ainda neste sábado, às 15h30 (de Brasília), o Zamalek, também do Cairo, enfrentará o Al Ittihad, de Alexandria. O campeonato tem um total de 18 times, entre os quais não figura o Al Masry, que em julho do ano passado anunciou sua desistência de disputar a temporada em respeito às vítimas da tragédia.

Em 30 de dezembro, a Federação Egípcia de Futebol informou que recebeu o aval do Ministério do Interior para retomar a competição. As autoridades condicionaram a volta, que passou por vários adiamentos, a que as partidas fossem realizadas sem público e em estádios em dependências das Forças Armadas.

Há uma semana, um tribunal penal recomendou a pena de morte para 21 acusados do massacre, em uma decisão que desencadeou conflitos entre manifestantes e a Polícia em Port Said, nos quais 40 pessoas morreram. O presidente do tribunal ordenou a transferência dos processos dos 21 acusados ao mufti, máxima autoridade religiosa do país, para que ele dite sua opinião sobre as execuções. A sentença será divulgada no dia 9 de março.

EFE    

compartilhe

comente

  •  
  • comentários
publicidade
publicidade