0

Jogamos por nosso futuro e por nosso prestígio, diz novo treinador do México

20 out 2013
17h13

O treinador da seleção mexicana de futebol, Miguel Herrera, disse neste domingo que, além da classificação para a Copa do Mundo de 2014, mediante confronto contra a Nova Zelândia em novembro, também estará em jogo o prestígio e o futuro do futebol de seu país.

Herrera, que se tornou na última sexta-feira o quarto treinador do México em pouco mais de um mês, lembrou que comandar a seleção local é um sonho realizado, apesar da situação crítica em que se encontra a equipe asteca.

"Não só eu estou pondo meu prestígio em risco, mas todos nós. Não há problema. O ideal nestes momentos é fortalecer mentalmente o grupo de jogadores", disse Herrera em sua apresentação.

"A cadeira que ocupo não queima, não assusta. Estamos aqui pensando em como conseguir a classificação, e vamos conquistá-la. Nunca direi não à minha seleção. Hoje cumpro este sonho, este objetivo, e agora sei que sou o homem mais feliz do planeta por ter sido escolhido para estar aqui", acrescentou.

Campeão do torneio Clausura do Campeonato Mexicano com o América em maio, Herrera estará à frente do "Tri", como é conhecido o escrete mexicano, nas duas partidas da repescagem para a Copa contra a Nova Zelândia em novembro.

Depois, os presidentes dos clubes mexicanos se reúnem no dia 2 de dezembro para avaliar se Herrera merece seguir no cargo ou se outro treinador deve ser nomeado.

Antes, o México ainda enfrenta a Finlândia em partida amistosa no dia 30 de outubro.

Vale lembrar que o "Tri" só está na repescagem porque acabou contando com uma ajuda fundamental dos Estados Unidos, que venceram o Panamá nos minutos finais da partida válida pelo hexagonal final das Eliminatórias da América Central e do Norte, beneficiando os vizinhos hispânicos.

"Estamos certos de que vamos desembarcar com a classificação garantida para a Copa, para alegria da federação e de nosso país, e depois trabalhar novamente no América. Neste momento, minha cabeça está na Nova Zelândia", disse Herrera.

"Convocarei muitos atletas do América porque não temos muito tempo para trabalhar, e eles sabem perfeitamente bem o que queremos dentro de campo, e assim é muito mais rápido alcançar o nível que pretendemos", explicou.

"El Piojo", como é conhecido Herrera, finalizou dizendo que alguns astros mexicanos no futebol europeu não deverão ser convocados por não atravessarem boa fase na carreira.

(Por Carlos Calvo)

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
publicidade