0

Kleina vibra com vitória 'convincente', mas evita definir 11 titulares no Verdão

21 mar 2013
00h16
atualizado às 01h21

O técnico Gilson Kleina comemorou a vitória sem sustos do Palmeiras por 2 a 0 sobre o Botafogo-SP, nesta quarta-feira, no Pacaembu. O resultado fez o Verdão chegar aos 24 pontos e pular da sexta para a quarta posição - o líder São Paulo soma 29 pontos.

O triunfo aconteceu um dias depois de o comandante completar seis meses na chefia da comissão técnica alviverde - já há muitas críticas por parte de torcedores e diretores sobre o trabalho do treinador.

- Hoje, pelas circunstâncias, tinha tudo para ser difícil, mas os jogadores tornaram fácil, foi uma de nossas grandes partidas. Era um concorrente direto, sabíamos da marcação forte deles. Foi uma vitória que podemos dizer que vencemos e convencemos. Começamos muito bem, com dinâmica, liberamos os laterais. Fizemos o gol rápido e tivemos o controle o tempo todo. Tivemos uma queda de cinco minutos com as lesões (de Kleber e Henrique) e só. Falamos para manter a tranquilidade, perdemos dois jogadores no primeiro tempo. Os jogadores foram de uma atitude que precisa enaltecer. Esse tipo de jogo nos dá confiança para caminhar - declarou depois do apito final.

A equipe foi bastante modificada para o confronto. Maurício Ramos estava suspenso e cedeu espaço para Vilson na zaga. Juninho, na lateral esquerda, Léo Gago e Charles no meio e Leandro ataque foram as outras novidades da equipe.

Embora tenha avaliado que o time atuou no "nível de Palmeiras", ele não confirma se utilizará o mesmo esquema no clássico com o Santos, no próximo domingo, no Pacaembu - Kleber e Henrique devem ser desfalques por lesão.

- Não gosto de vender ilusão. Tivemos bela vitória, mas pé no chão. Temos de evoluir. E sabemos da transição que está havendo. Tem clássico domingo, depois jogos importantes e a decisão da Libertadores, que não posso contar com Leandro (inscrito pelo Grêmio), Léo Gago (inscrito pelo Grêmio), Vilson (suspenso), Valdivia, Maikon Leite e Souza (machucados). Tem de trabalhar paralelamente. Estamos dando solução. O que passo para eles (jogadores) é que quem demonstrar o futebol vai dar certo. Temos de nos mobilizar para essas decisões. Tenho muita convicção que vamos classificar na Libertadores. Hoje não consigo cravar uma equipe para você, mas estamos encaminhando para isso.

Fonte: Lancepress! Lancepress!
publicidade