0

Confira os 11 gols do recordista R. Ceni na Libertadores

26 fev 2010
17h03
Filipe Lima

Na derrota do São Paulo para o Once Caldas por 2 a 1, o gol tricolor foi de Rogério Ceni. Com ele, o goleiro entrou mais uma vez para a história da equipe do Morumbi. Com seu 11º gol, ele se tornou o maior artilheiro do clube em Libertadores - deixando Pedro Rocha, Müller e Palhinha, com dez cada, para trás.

O Terra lista os 11 gols que levaram o capitão são-paulino a atingir esta marca.

1. Alianza Lima-PER 1x2 São Paulo, 11 de fevereiro de 2004

A partida contra o Alianza Lima, no Peru, marcava a volta do São Paulo à Libertadores - competição que a equipe não disputava desde 1994. E o primeiro gol no retorno do time ao torneio continental foi de Rogério Ceni. Em cobrança de falta próxima à grande área, o goleiro abriu o placar, aos 22min do primeiro tempo.

2. São Paulo 3x0 Deportivo Táchira-VEN, 19 de maio de 2004

A segunda vez que o goleiro marcou em Libertadores também foi em 2004, nas quartas de final, contra o Deportivo Táchira. E o gol foi muito parecido com o seu primeiro. Uma cobrança de falta de perto da grande área, com bastante curva, no canto alto direito do goleiro adversário. Depois deste embate, o São Paulo passaria às semifinais, quando seria desclassificado pelo Once Caldas.

3. São Paulo 4x2 Universidad de Chile, 9 de março de 2005

Foi em 2005 que Rogério Ceni marcou mais gols em uma só edição do principal continental da América do Sul: cinco. O primeiro deles foi na estreia do São Paulo no Morumbi, contra a Universidad de Chile, em falta bem distante da área. O goleiro Johnny Herrera, que teria passagem apagada pelo Corinthians no ano seguinte, não teve reação.

4. São Paulo 2x0 Palmeiras, 25 de maio de 2005

As oitavas de final da Libertadores de 2005 reservaram ao São Paulo clássico contra o Palmeiras. A disputa teve Cicinho como protagonista - o lateral marcou gol em ambos os jogos. Mas Rogério deixou o seu no jogo de volta, de pênalti, aos 36min do segundo tempo.

5 e 6. São Paulo 4x0 Tigres-MEX, 1º de junho de 2005

Na fase seguinte, São Paulo e Tigres faziam o duelo dos dois últimos invictos da competição. A invencibilidade mexicana terminou no primeiro jogo, no Morumbi, com goleada de 4 a 0. Ceni estava inspirado e fez dois gols de falta - o primeiro e o terceiro da partida. Foi a única vez que o camisa 1 marcou duas vezes em um encontro de Libertadores. Ele ainda teve a oportunidade de fazer o seu terceiro, de pênalti, mas isolou a cobrança.

7. São Paulo 2x0 River Plate-ARG, 22 de junho de 2005

O último dos cinco gols de Rogério em 2005 foi na semifinal, contra o River Plate. Na partida de ida, no Morumbi, ele cobrou pênalti aos 44min do segundo tempo. O goleiro Franco Costanzo acertou o canto, mas não conseguiu alcançar a bola. O ano em que o goleiro mais fez gols na Libertadores foi também quando o São Paulo conquistou seu terceiro título continental.

8. São Paulo 2x0 Caracas-VEN,20 de abril de 2006

Em 2006, o primeiro gol do goleiro demorou a acontecer. Foi no último jogo da fase de grupos, quando o São Paulo já estava classificado - mas brigava com o Chivas, do México, pela liderança da chave. Mineiro sofreu pênalti e Rogério converteu, fechando o 2 a 0 ante o Caracas. A vitória, somada ao empate do Chivas com o Cienciano, deu o primeiro lugar ao time brasileiro.

9. São Paulo 2x1 Palmeiras, 3 de maio de 2006

Assim como no ano anterior, São Paulo e Palmeiras se enfrentaram nas oitavas de final. E, igualmente à disputa de 2005, Rogério fez um de pênalti no jogo de volta, no Morumbi. A cobrança foi com paradinha, que atrapalhou o goleiro Sérgio. O tento, aos 42min do segundo tempo, garantiu a classificação são-paulina às quartas de final.

10. Chivas Guadalajara-MEX 0x1 São Paulo, 26 de julho de 2006

Nas semifinais, o São Paulo reencontrou o Chivas Guadalajara, adversário da fase de grupos. O jogo de ida, no México, seguia para um empate sem gols, quando a equipe brasileira teve um pênalti a seu favor. Rogério cobrou, aos 39min do segundo tempo, e garantiu a vitória. O São Paulo iria à final da edição e perderia para o Inter.

11. Once Caldas-COL 2x1 São Paulo, 25 de fevereiro de 2010

Desde o gol contra o Chivas, surgiu a expectativa. Mais um gol do capitão do São Paulo e ele seria o maior artilheiro da história da equipe no torneio sul-americano. Demorou quase quatro anos, mas aconteceu. Foi em Manizales, nesta quinta-feira, contra o Once Caldas. Em estranha cobrança de falta, a barreira desviou a bola e tirou qualquer chance do goleiro Martínez.

O tento não marcou a história de Rogério Ceni somente pelo recorde são-paulino em Libertadores. Esta também foi a primeira vez, em 88 gols do camisa 1, que ele marca em uma partida e a equipe tricolor perde.

De falta, e com ajuda da barreira, Ceni chegou à marca histórica
De falta, e com ajuda da barreira, Ceni chegou à marca histórica
Foto: EFE
Fonte: Especial para Terra

compartilhe

publicidade
publicidade