0

Pentacampeão da Libertadores morre no Paraguai aos 72 anos

3 mar 2013
22h50
atualizado às 22h51
  • separator
  • comentários

Luis Alberto Cubilla Almeida, dono de cinco títulos da Copa Libertadores da América (três como jogador e dois como técnico) e que disputou três Copas do Mundo como atacante da seleção do Uruguai, morreu neste domingo em um hospital particular de Assunção, capital do Paraguai. Ele tinha 72 anos.

<p>Cubilla (à esquerda) foi atacante da seleção uruguaia e treinador em vários clubes da América Latina</p>
Cubilla (à esquerda) foi atacante da seleção uruguaia e treinador em vários clubes da América Latina
Foto: AFP

“Meu pai estava em terapia intensiva nas últimas semanas. Só peço respeito à memória dele e que nossa família tenha paz”, disse Luis Cubilla, filho do ex-jogador e ex-treinador.

De acordo com emissoras de rádio de Assunção, a causa da morte foi um câncer estomacal.

Cubilla nasceu na cidade de Paysandú, em 28 de março de 1940, e representou os dois maiores clubes do Uruguai, conquistando na carreira três títulos da Libertadores: em 1960 e 1961 pelo . Peñarol e em 1971, pelo Nacional de Montevidéu. Também foram dois títulos do Mundial Interclubes, em 1961 e 1971. Pelo país, disputou três Copas do Mundo: 1962, 1970 e 1974.

Suas grandes conquistas como treinador foram no comando do paraguaio Olimpia, com os títulos da Libertadores de 1979 e 1990. Ele também levou o clube de Assunção ao título do Mundial Interclubes de 1980, contra o Malmo, da Suécia.

“O Cubilla mudou a mentalidade do futebol paraguaio. Ao levar o Olimpia para a conquista da Libertadores de 1979 e ao Mundial de 1980, os jogadores começaram a acreditar nas próprias forças e na própria qualidade, a acreditar que não era menos que ninguém”, elogiou o ex-meio-campista Carlos Alberto Kiese, ex-pupilo do uruguaio.

Luis Cubilla também dirigiu a seleção uruguaia, entre 1991 e 1993, além de clubes como os paraguaios Libertad, Cerro Porteño e Tacuary, os argentinos Newell’s Old Boys, River Plate, Racing de Avellaneda e Talleres de Córdoba, os colombianos Atlético Nacional de Medellín e Centauros Villavivencio, o guatemalteco Comunicaciones, o equatoriano Barcelona de Guayaquil e o peruano Colegio Nacional de Iquitos.

Antes de morrer, Cubilla apresentou em 2012 uma queixa judicial contra o Olimpia, reclamando de uma dívida de 300 mil dólares (cerca de R$ 570 mil), que ainda não foi quitada.

Fonte: AP AP - The Associated Press. Todos os direitos reservados. Este material não pode ser copiado, transmitido, reformado o redistribuido.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade