7 eventos ao vivo

Relembre o caso de racismo envolvendo Grafite e Desábato

25 jun 2009
02h22

O atacante gremista Maxi López foi acusado pelo volante Elicarlos, do Cruzeiro, de ter feito declarações racistas na partida entre os dois pela semifinal da Copa Libertadores. O jogador argentino, que teria chamado o cruzeirense de "macaco", por pouco não saiu preso do Mineirão.

O caso lembra o episódio envolvendo o atacante brasileiro Grafite, então no São Paulo, e o zagueiro argentino Leandro Desábato, então no Quilmes, em partida válida pela primeira fase da Copa Libertadores de 2005.

O jogador brasileiro acusou o argentino de racismo, que recebeu voz de prisão ainda no gramado do Morumbi. Desábato ficou preso por dois dias em São Paulo e acusado de injúria com agravante de racismo depois de ter insultado em campo Grafite. O xingamento teria sido o mesmo dito por Maxi López.

Após pagar uma fiança de R$ 10 mil, o defensor do clube argentino foi solto e retornou a Buenos Aires comprometendo-se a voltar para todos os atos do processo. Tempos mais tarde, Grafite retirou a acusação. Recentemente, em entrevista à Folha de S.Paulo, o jogador, hoje no futebol alemão, admitiu que errou no caso.

Hoje Desábato está no Estudiantes de La Plata e, curiosamente, pode enfrentar Grêmio ou Cruzeiro na final da Libertadores, caso passe pelo Nacional no outro confronto da semifinal do torneio.

Desábato foi preso em 2005 por ter xingado Grafite
Desábato foi preso em 2005 por ter xingado Grafite
Foto: Djalma Vassão / Gazeta Press
Fonte: Terra
publicidade