PUBLICIDADE

"São Marcos" tem média pior do que Ceni, mas compensa nos pênaltis

14 mai 2009 15h50
| atualizado às 15h57
Publicidade

Marcos e Rogério Ceni têm trajetórias parecidas na Copa Libertadores. Os números mostram desempenhos parecidos dos goleiros de Palmeiras e São Paulo na principal competição sul-americana, com um levando vantagem sobre o outro em metade dos quesitos analisados.

Na atual edição, Marcos está em alta, com três pênaltis defendidos na disputa contra o Sport. Já Rogério Ceni, machucado, teve de conviver com uma falha diante do Defensor e uma contusão que o tirou da Libertadores.

O aproveitamento de Ceni em jogos, na história da competição, é melhor do que o de Marcos. Em 60 partidas pela competição, o são-paulino ganhou 66,7% dos pontos disputados, enquanto o palmeirense tem a marca de 56%, em 53 jogos. Caso o Palmeiras chegue à final da Libertadores, Marcos ficará a um jogo de alcançar Ceni, que não joga mais na competição este ano.

Outra vantagem do goleiro do São Paulo é na média de gols sofridos. Rogério Ceni tem a excelente marca de 0,88 gols levados por jogo (53 em 60 jogos). Já Marcos tem média um pouco maior: 1,22 (65 gols em 53 jogos).

No entanto, quando se fala em disputa de pênaltis, as posições se invertem. Marcos, além de ter jogado mais decisões desse tipo, tem aproveitamento melhor que o do rival. Foram 9 disputas pela Libertadores, com 42 pênaltis batidos e apenas 25 convertidos.

Ceni disputou - e venceu - as duas disputas que teve, com 11 pênaltis batidos e sete convertidos. Depois da vitória sobre o Sport, Marcos passou a ter melhor aproveitamento do que Rogério: 40% de pênaltis não entraram, contra 36,3% do camisa 1 do São Paulo.

Marcos foi o herói da classificação palmeirense contra o Sport
Marcos foi o herói da classificação palmeirense contra o Sport
Foto: Otávio de Souza / Futura Press
Fonte: Terra
Publicidade