0

Sobis alivia sofrimento, Inter vira e fatura bi da Libertadores

18 ago 2010
23h58
atualizado em 19/8/2010 às 02h57

A torcida colorada esperava uma noite tranquila de comemoração, mas teve que passar por uma boa dose de sofrimento antes de vibrar com o bicampeonato da Copa Libertadores, nesta quarta-feira, no Beira-Rio. Assim como no jogo de ida no México, o Inter dominou a partida contra o Chivas, mas sofreu um gol no fim do primeiro tempo; na segunda etapa, porém, gols de Rafael Sobis, Leandro Damião e Giuliano deram à equipe gaúcha a virada por 3 a 2 e o maior título das Américas, pela segunda vez em sua história.

Rafael Sobis, grande nome do título da Libertadores de 2006 diante do São Paulo, voltou a mostrar estrela ao balançar as redes no momento mais delicado da partida, quando o Inter perdia por 1 a 0 e o jogo caminhava para a prorrogação. Depois, o atacante deu lugar ao jovem Leandro Damião, que deixou sua marca poucos minutos depois de entrar em campo. Giuliano, novamente decisivo, fechou o placar com um golaço no final.

A equipe mexicana marcou forte e apelou para a violência em vários momentos do jogo, tendo até um jogador, Arellano, expulso nos últimos minutos finais. Porém, não foi suficiente para tirar a conquista do Beira-Rio.

Primeiro tempo

Com Rafael Sobis isolado no ataque no lugar do lesionado Alecsandro, o time colorado começou nervoso, travado, longe do futebol de passes rápidos que havia apresentado na vitória no México. O Chivas, porém, limitava-se a marcar. A primeira chegada do Inter veio aos 9min: D'Alessandro levantou na área em cobrança de falta e Índio desviou de cabeça, para defesa tranquila de Michel.

Pressionando a saída de bola da equipe gaúcha, os mexicanos forçavam o erro do Inter. Aos 12min, Sandro foi desarmado e Bautista chutou de fora da área, mas pegou fraco na bola e facilitou a defesa de Renan. Aos poucos, porém, o ritmo da marcação do Chivas foi diminuindo e o Inter foi encontrando mais espaços para sair jogando.

A equipe visitante passou a apelar para faltas duras para parar os avanços colorados; o Inter seguiu melhor no jogo, mas só conseguia chegar na bola parada. Aos 19min, cruzamento de D'Alessandro em cobrança de escanteio e cabeçada para fora de Sandro. A resposta veio três minutos depois, quando Fabián arriscou de longe e viu a bola passar perto do ângulo de Renan.

O domínio do time brasileiro crescia. Aos 23min, Tinga fez grande jogada ao passar por dois adversários e tocou para a entrada da área; Rafael Sobis fez o corta-luz e Taison bateu colocado, mas Michel espalmou bem. Com 26min, D'Alessandro assustou em cobrança de falta. Na sequência, Bolívar pegou sobra de escanteio e bateu para fora.

Assim como no jogo de ida, justamente quando o Inter parecia mais à vontade em campo, o Chivas abriu o placar. Aos 42min, após bola alçada na área, Omar Bravo ajeitou de cabeça e Fabián emendou um belo voleio sem chances para Renan, calando a torcida no Beira-Rio. O Inter pressionou até o intervalo em busca do empate, mas os mexicanos se seguraram, contando com ótimas intervenções do zagueiro e capitão Reynoso.

Segundo tempo

Novamente embalado pelo torcedor, o Inter começou acelerado na segunda etapa e assustou logo no primeiro minuto. Taison arrancou pelo meio e bateu de bico de fora da área, mas Michel defendeu em dois tempos. Pouco depois, foi Rafael Sobis quem arriscou de longe, e novamente o goleiro mexicano soltou para depois fazer a defesa completa.

O Chivas marcava com mais força que no primeiro tempo e os colorados tinham dificuldade para articular jogadas. Aos 8min, Kleber conseguiu enfiar bola precisa para Rafael Sobis na frente, mas o atacante vacilou ao tentar driblar o goleiro e acabou desarmado. Roth não esperou muito para mandar Giuliano aquecer: aos 10min, o "talismã" já se preparava para entrar em campo.

O andamento da partida era igual ao da etapa inicial: o Inter com a posse de bola, tentando escapar da marcação cerrada, e o Chivas só se defendendo. Até que, aos 16min, a resistência mexicana cedeu. Kleber fez levantamento preciso da esquerda e Rafael Sobis chegou antes do goleiro Michel para desviar para o fundo das redes; na jogada, o atacante colorado caiu de mau jeito e machucou o ombro direito.

Depois do empate, Giuliano entrou no lugar de Taison. Os colorados continuaram melhores e, aos 24min, D'Alessandro fez lindo lance: o argentino ameaçou chutar e deixou Reynoso no chão, mas a finalização foi defendida por Michel. Na sequência, o Chivas quase ficou na frente de novo. Após cruzamento na área, Renan saiu de soco e dividiu com Fabián, evitando o gol mexicano.

A partida era nervosa e, aos 27min, Reynoso protagonizou um lance de boxe ao dar três socos nas costas de Rafael Sobis sem ser notado pelo árbitro Oscar Ruiz. O atacante deixou o campo pouco depois para a entrada do garoto Leandro Damião, que mostrou estrela ao marcar o segundo gol do Inter aos 30min: ele escapou pelo meio, arrancou em direção ao gol e bateu forte. A bola ainda tocou na mão de Michel, mas entrou.

Ainda faltava o gol de Giuliano. E ele veio aos 45min, quando o meia recebeu na entrada da área, passou entre dois marcadores e deu um lindo toque por cobertura na saída de Michel, garantindo o título e a festa colorada.

Já nos acréscimos, Omar Bravo aproveitou rebote de Renan em cobrança de falta para desviar para o gol vazio e diminuir o prejuízo. O apito final de Oscar Ruiz, porém, veio na sequência, sacramentando a conquista do Inter. Nos minutos finais, houve cenas de pancadaria entre jogadores das duas equipes, mas logo a confusão terminou e deu lugar à comemoração.

FICHA TÉCNICA

Internacional 3 x 2 Chivas Guadalajara

Gols
Internacional: Rafael Sobis, aos 16min, Leandro Damião, aos 30min, e Giuliano, aos 45min do 2º tempo
Chivas Guadalajara: Fabián, aos 42min do 1º tempo, e Omar Bravo, aos 47min do 2º tempo

Ponto Forte do Internacional
Controlou a posse de bola e criou as melhores chances durante toda a partida

Ponto Forte do Chivas Guadalajara
Marcou com muita força e aproveitou bem as poucas oportunidades que teve

Ponto Fraco do Internacional
Desatenção da defesa nos dois lances que resultaram nos gols do Chivas

Ponto Fraco do Chivas Guadalajara
Assim como no México, não conseguiu se impor e viu o Inter dominar a partida durante quase todo o tempo

Personagem do jogo
Rafael Sobis, que voltou a brilhar em uma decisão de Libertadores quando o Inter passava por seu pior momento no jogo

Esquema Tático do Internacional
4-2-3-1
Renan; Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Sandro e Guiñazu; D'Alessandro, Tinga (Wilson Matias) e Taison (Giuliano); Rafael Sobis (Leandro Damião). Técnico: Celso Roth

Esquema Tático do Chivas Guadalajara
4-2-3-1
Michel; Magallón, Reynoso, De Luna e Ponce (Escalante); Báez (Vázquez) e Araujo; Fabián, Bautista e Arellano; Omar Bravo. Técnico: José Luis Real

Cartões amarelos
Internacional: Bolívar
Chivas Guadalajara: De Luna, Fabián, Bautista e Omar Bravo

Cartão vermelho
Chivas Guadalajara: Arellano

Árbitro
Oscar Ruiz (COL)

Local
Estádio Beira-Rio, Porto Alegre (RS)







Capitão Bolívar ergue a taça da Libertadores: Inter igualou o rival Grêmio em número de títulos continentais
Capitão Bolívar ergue a taça da Libertadores: Inter igualou o rival Grêmio em número de títulos continentais
Foto: EFE
Terra

compartilhe

publicidade
publicidade