Fale conosco

 Notícias por e-mail
Brasil
Quinta, 14 de julho de 2005, 19h00  Atualizada às 19h44
Torcida do Atlético-PR faz fila na porta da Arena
 
Elaine Felchacka
Especial para o Terra
 
Elaine Felchaka/Terra
Torcedores fazem fila, confiantes na vitória do Atlético-PR
Torcedores fazem fila, confiantes na vitória do Atlético-PR
 Últimas de Brasil
» Brasil perde vaga direta na Copa Libertadores
» Finazzi pode estrear no clássico contra o Paraná
» Luizão "ganha" gol na Libertadores após cinco anos
» Lula critica são-paulinos por cenas de vandalismo
Centenas de torcedores do Atlético-PR formam uma longa fila em frente ao portão de entrada da Arena, estádio do clube, na avenida Getúlio Vargas.

Eles aguardam a abertura dos portões para acompanhar o confronto contra o São Paulo no interior do estádio.

O Atlético-PR instalou um telão na Arena e está cobrando R$ 7 e mais um agasalho dos torcedores que quiserem assistir ao jogo. Mulheres e crianças não pagam, mas precisam fazer a doação do agasalho também. Estão disponíveis 7.300 lugares.

O estudante Felipe César Facchi, 16 anos, foi a primeira pessoa a entrar na fila. Ele está em frente aos portões desde o meio-dia e não esconde que se fosse necessário ficaria mais 24 horas na fila.

"Estou guardando lugar para minha família que está trabalhando. E vim aqui para ver o Atlético ganhar de 2 a 0", disse, empolgado.

A dona de casa Cristina Moreira e a família também chegaram cedo na fila. Além dos três filhos, Cristina está acompanhada do marido, que a ensinou gostar de futebol.

"Ele trocou o dia de trabalho para poder assistir o jogo hoje. E eu estou sempre com ele. Ele é quem me puxa para o futebol", comentou.

Diferente de Cristina que gosta de futebol para acompanhar o marido, a médica Margô Morais vive uma situação diferente, vai ao estádio pela paixão pelo Atlético-PR.

"Acho que o Atlético merecia até mais do que isso que estamos fazendo. Sempre acreditei no time e hoje o Diego vai fazer a diferença".

A médica aposta na vitória atleticana por 1 a 0, com gol de Evandro, que para ela tem sido injustiçado.

"Um jogador que está na Seleção Brasileira, seja Sub-15, Sub-17, Sub-20, não merece ficar no banco. Quero que ele faça o gol e ganhe o carro também", destacou.
 

Redação Terra