Boletim

 Fale conosco
Libertadores 2006
Quarta, 2 de agosto de 2006, 23h39  Atualizada às 11h17
São Paulo bate Chivas e está na final pela sexta vez
 
Vagner Magalhães
 
Reinaldo Marques/Terra
São Paulo só acordou após a penalidade defendida por Ceni
São Paulo só acordou após a penalidade defendida por Ceni
 Últimas de Libertadores 2006
» Jornal: Palmeiras renova com Adidas e alivia atrasos salariais
» Procurador de Finazzi cobra posição da Ponte Preta
» vc repórter: torcida do Inter cumpre promessa após título
» Fernandão divide prêmio com companheiros de Inter
Busca
Busque outras notícias no Terra:
O São Paulo garantiu presença na final da Copa Libertadores pela sexta vez na história. Depois de levar um susto do Chivas no começo do confronto disputado no Morumbi, nesta quarta-feira, o time brasileiro tomou conta da partida e venceu por 3 a 0 sem correr grandes riscos.

Ceni rejeita papel de herói
Muricy credita vaga a jogo no México
Veja fotos
Opine: o São Paulo será tetracampeão?
Confira a tabela das semifinais
Confira os artilheiros
Leia mais sobre a Libertadores

A equipe de Guadalajara desperdiçou chances incríveis no começo do jogo, a melhor delas um pênalti perdido por Morales. Após a defesa do goleiro Rogério Ceni, o São Paulo recuperou a lucidez e abriu o placar com Leandro. Ainda no primeiro tempo, Mineiro tranqüilizou a torcida que lotou o Morumbi com um golaço.

"Ainda não está nada garantido, precisamos fazer o terceiro gol", disse Rogério Ceni na saída para o intervalo. O São Paulo precisou de apenas dois minutos para cumprir o desejo do capitão. De cabeça, Ricardo Oliveira assegurou a vitória e marcou seu primeiro gol na Libertadores.

Precisando somente de um empate, o São Paulo se viu com três gols de vantagem. Mesmo assim, o time não entrou na euforia da torcida e manteve a seriedade. Expulso após entrada maldosa em Lenílson, Reynoso ainda deixou o time de Guadalajara em inferioridade numérica.

Desta forma, o São Paulo apenas espera pelo vencedor do duelo entre Internacional e Libertad. Depois de arrancar um empate sem gols no Paraguai, o time gaúcho faz a partida de volta, no Beira-Rio, na noite desta quinta-feira. As finais acontecem nos dias 9 e 16 de agosto.

O Jogo

Com as duas equipes dispostas a jogar futebol, o confronto começou equilibrado. Logo aos 8min, Leandro sofreu falta pela direita. Júnior levantou na área com perigo e Oswaldo Sánchez espalmou para escanteio. Dois minutos depois, Ricardo Oliveira desceu pela esquerda e cruzou rasteiro. Danilo tentou completar, mas foi travado.

O Chivas respondeu aos 18min. Omar Bravo arriscou de fora da área, a bola desviou e complicou a vida de Rogério Ceini. O time mexicano cresceu no jogo e perdeu uma grande chance aos 20min. A defesa brasileira falhou na linha de impedimento, Santana desceu pela direita e cruzou. Livre de marcação, Baustista mandou por cima.

Seis minutos depois, Fabão cometeu pênalti em cima de Bautista. Em bola alçada na área, o zagueiro impediu a subida do atacante mexicano. Morales foi para a cobrança. Ele bateu do lado esquerdo de Rogério Ceni, que saltou e manteve o placar inalterado no Morumbi.

O time brasileiro acordou e saiu na frente aos 32min. De costas para o gol, Ricardo Oliveira recebeu cobrança de lateral de Júnior e ganhou da marcação. Ele entrou na área tabelando com Leandro, mas não conseguiu concluir. O camisa 9 pegou a sobra e tocou para o fundo das redes.

O São Paulo manteve o domínio da partida e ainda aumentou a vantagem seis minutos antes do final do primeiro tempo. Ricardo Oliveira não conseguiu dominar dentro da área e a bola sobrou limpa para Mineiro, que encheu o pé e acertou o ângulo de Sánchez.

Os donos da casa voltaram para a disputa da etapa complementar dispostos a assegurar a classificação, e conseguiram logo aos 2min. Souza levou até o fundo pela direita e cruzou na medida para Ricardo Oliveira. O centroavante subiu livre e cabeceou para o fundo das redes.

Depois de abrir três gols de vantagem no marcador, o São Paulo diminuiu o ritmo e apenas administrou. Aos 15min, Ricardo Oliveira pedalou pela esquerda e chegou à linha de fundo. Ele levantou na área e quase surpreendeu o goleiro Sánchez, que mandou para escanteio.

Quando passava pela defesa brasileira, o Chivas esbarrava na falta de pontaria de seus atacantes. Aos 26min, Omar Bravo recebeu de Medina pela esquerda, invadiu a área e bateu para fora. Dois minutos depois, Reynoso aplicou uma joelhada em Lenílson e foi expulso. Omar Bravo teve nova oportunidade aos 32min, mas Ceni defendeu.

Ficha Técnica
São Paulo 3 x 0 Chivas
Equipes
Rogério Ceni
Fabão
Lugano
Edcarlos
Souza
Josué
Mineiro
Danilo
(Lenílson)
Júnior
(Richarlyson)
Ricardo Oliveira
(Aloísio)
Leandro

Técnico:
Muricy Ramalho

Oswaldo Sánchez
Rodríguez
Reynoso
Magallón
Martínez
Araújo
Juan Rodríguez
Morales
(Medina)
Santana
(Bautista)
Bautista
Omar Bravo

Técnico:
José Manuel de La Torre

Gols

32min - 1 ° tempo
Leandro
39min - 1º tempo
Mineiro
2min - 2º tempo
Ricardo Oliveira

 
Cartões Amarelos
Souza Araújo
Magallón
Santana
Omar Bravo
Rodríguez
Bautista
Cartões Vermelhos
  Reynoso
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Árbitro: Daniel Gimenez (ARG)
Público e renda: 66.750 pagantes e R$ 2.264.780,00

 
Redação Terra