Libertadores 2008

› Esportes › Futebol › Libertadores 2008

Libertadores 2008

Segunda, 7 de abril de 2008, 18h38 Atualizada às 18h43

Derrotado, cartola do Fla ainda busca veto à altitude

Rodrigo Viga
Especial para o Terra

Mesmo com a confirmação da partida nesta quarta-feira nos 3.400m na altitude peruana de Cuzco, contra o Cienciano, o presidente do Flamengo, Márcio Braga, afirmou que o clube não desistiu de evitar que o time da Gávea volte a atuar em locais muito acima do nível do mar em competições internacionais.

» Veja as últimas do Flamengo

O Tribunal Arbitral do Esporte indeferiu hoje o pedido dos clubes brasileiros de vetar os jogos em regiões com altitude elevada, iniciativa liderada pelo Flamengo. "Perdemos a batalha, mas não perdemos a guerra", disse o cartola rubro-negro, confirmando que a agremiação carioca não desistirá de tentar a proibição.

Na opinião do dirigente, caso ocorra algum dano físico a algum jogador por atuar na altitude, a junta médica da Conmebol, que autorizou a realização de jogos em locais muito acima do nível do mar, deverá ser responsabilizada judicialmente pelo problema.

Para confirmar a idéia, Márcio Braga citou o caso do zagueiro Serginho, que atuando pelo São Caetano, morreu em campo após sofrer uma parada cardiorrespiratória em 2004. "No caso do Serginho, do São Caetano, o denunciado foi o presidente do clube e o médico. E agora não é diferente", disse o presidente do Flamengo.

Redação Terra

Busque outras notícias no Terra