Libertadores 2008

› Esportes › Futebol › Libertadores 2008

Libertadores 2008

Quinta, 3 de julho de 2008, 02h14 Atualizada às 08h19

Abatido, Renato promete Flu de pé após "nocaute"

O técnico do Fluminense, Renato Gaúcho, comparou seu sentimento após a final da Copa Libertadores ao de um boxeador na lona. Abatido, ele se emocionou ao comentar a derrota para a LDU na disputa por pênaltis, nesta quarta-feira, mas assegurou que o time tricolor vai se recuperar.

» Veja fotos da festa da LDU
» Veja fotos de Flu x LDU
» Assista ao vídeo em que Renato Gaúcho se emociona após derrota
» LDU leva título da Libertadores

"Na vida, os vencedores são golpeados também. Sou um vencedor, mas, sem dúvida, hoje foi um nocaute. Talvez o segundo maior, pois o maior foi a morte de meu pai. Às vezes, a gente dá o nocaute, às vezes, a gente recebe. Hoje eu recebi", declarou o treinador, com lágrimas nos olhos.

De acordo com Renato, o sentimento dos jogadores no vestiário era semelhante. "Nem conversei com o grupo hoje, não tinha condições, falo com eles na sexta. Só estou dando entrevista porque sou homem, não quero que digam que eu me escondi porque perdemos", acrescentou.

A tarefa do treinador, agora, será levantar o astral dos atletas. Por conta das partidas decisivas da Copa Libertadores, o Fluminense deixou o Campeonato Brasileiro em segundo plano durante as oito primeiras rodadas. A equipe ocupa a lanterna da competição, com apenas três pontos.

"O trabalho nos próximos dias será recuperar o ânimo de todos. Sei que o momento é difícil, mas tenho um grupo muito bom, que vai dar a volta por cima. Vamos nos recuperar e brigar, no mínimo, por uma vaga na próxima Copa Libertadores", prometeu o comandante.

Aplausos e críticas

Renato Gaúcho fez questão de tecer elogios ao trabalho realizado por seus jogadores na decisão. Depois de perder o jogo de ida, em Quito, por 4 a 2, o Fluminense saiu atrás no Maracanã, mas triunfou por 3 a 1 e levou a decisão para os pênaltis. No desempate, deu LDU.

"A equipe buscou heroicamente o resultado e teve outras oportunidades, mas, infelizmente, a bola não entrou. Apesar de não termos ganho, os jogadores são vencedores, isso ficou claro com o aplauso dos torcedores. É claro que gostaríamos de ter vencido, mas o reconhecimento da torcida foi ótimo", afirmou.

Os elogios acabaram, no entanto, quando o assunto foi a arbitragem do argentino Héctor Baldassi. A principal reclamação é sobre um pênalti cometido por Ambrossi em Washington, ainda no primeiro tempo, ignorado pelo responsável do apito na decisão da Libertadores.

"Se eu falar da arbitragem, vão dizer que é desculpa. Deixo para vocês comentarem o pênalti no Washington, o tempo que ele (Baldassi) dava para o goleiro repor a bola ou eles baterem os laterais. A Fifa, que gosta de dar exemplos, deu um péssimo exemplo hoje", disse Renato.

O treinador se recusou apenas a comentar o comportamento de Dodô, que teria se desentendido com colegas durante a semana. "Posso dizer que o Dodô tem contrato com o Fluminense e faz parte do grupo. É mentira que quiseram agredi-lo. Não vou tomar qualquer atitude agora, de cabeça quente", concluiu.

Redação Terra

Reuters
Após derrota, Renato promete rápida recuperação do elenco tricolor no Brasileiro
Após derrota, Renato promete rápida recuperação do elenco tricolor no Brasileiro

Enquete

  • Quem foi o destaque da final?
  • Cevallos
  • Guerrón
  • Bolaños
  • Bieler
  • Thiago Neves
  • Busque outras notícias no Terra