0

Lula e Bachelet estudam troca de sedes da Copa América

30 jul 2009
15h30
atualizado às 18h18

O Brasil viverá uma "overdose" de eventos esportivos na próxima década. A partir de 2013, na Copa das Confederações, o País pode receber grandes competições por quatro anos consecutivos: Copa do Mundo em 2014, Copa América em 2015 e Olimpíada em 2016. Para evitar uma série de acontecimentos em um curto espaço de tempo, o presidente Lula sinalizou com a possibilidade de trocar a sede da Copa América com o Chile, designado para receber a competição em 2019. A próxima edição, em 2011, será na Argentina.

» Riquelme não tem vaga na seleção argentina
» Maradona prevê queda do Brasil na temporada
» Técnico aprova clássico em Rosário
» Brasil x Argentina será em Rosário

O assunto já vinha sendo discutido desde o início do mês. Mas, nesta quinta-feira, Lula conversou pela primeira vez sobre o assunto com Michelle Bachelet, mandatária chilena, que está em São Paulo para o Encontro Empresarial Brasil-Chile, realizado na Fiesp (Federação das Industrias do Estado de São Paulo).

"Na nossa conversa de hoje, o Chile mostrou interesse em sediar a Copa América de 2015 no seu território. O Brasil vai sediar a Copa das Confederações em 2013, a Copa do Mundo em 2014, a América em 2015 e ainda estamos disputando a candidatura dos Jogos Olímpicos de 2016", ressaltou Lula. "Seria a década do esporte no Brasil. Eu acredito que essa troca seja viável, me comprometi a fazer esforços junto ao ministro do Esporte (Orlando Silva) e o presidente Ricardo Teixeira, da CBF", garantiu o mandatário brasileiro.

O Chile já havia demonstrado interesse na troca desde as Eliminatórias, quando Bachelet deu declarações nesse sentido. A Conmebol, organizadora da Copa, também se posicionou a favor da mudança.

"Acredito que dessa forma seja uma distribuição justa. Queremos os brasileiros em massa no Chile em 2015. Até lá, essa discussão ainda pode avançar bastante", afirmou Bachelet, otimista.

Fonte: Terra
publicidade