0

Marcelo Teixeira exime Ganso de culpa e alfineta Luis Álvaro

13 abr 2011
13h11
atualizado às 13h52

As negociações que envolvem o meia Paulo Henrique no Santos tem feito até com que o atual presidente do clube, Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, e o ex-mandatário, Marcelo Teixeira, troquem farpas via imprensa.

Um dia depois de Luis Álvaro acusar o grupo oposicionista de espalhar o boato sobre uma possível ida de Ganso para o Corinthians, Teixeira rebateu as declarações do dirigente e elogiou o camisa 10 do clube praiano.

"Pelo o que eu conheço da formação do Ganso, ele não vai sair pela porta dos fundos", disse Marcelo Teixeira, em entrevista à Rádio Estadão/ESPN.

Uma parte dos direitos econômicos de Paulo Henrique foi negociada com o grupo DIS, alvo de críticas da atual cúpula santista. Na época, além de Ganso, a DIS adquiriu participação nos direitos de outros seis atletas, como o meio-campista Wesley e o atacante André, já negociados.

O lateral esquerdo Anderson Planta, o volante Diego Faria, o meia Breitner e o atacante Tiago Luis também fazem parte dessa lista. Teixeira aproveitou a oportunidade para se defender sobre essa transação.

"Dos percentuais do Santos sobre o Paulo Henrique foram negociados apenas 15%. Não se pode esquecer que, dentre esses jogadores da cesta, alguns não se firmaram no futebol brasileiro. Eles eram atletas em formação", disse.

"A negociação foi feita no final de 2007 e, naquele momento, fizemos uma parceria importantíssima para que as famílias dos jogadores tivessem uma estabilidade financeira. Foi o que fez o Delcir (Sondas, dono da DIS), quando pagou importantes valores às famílias dos atletas", comentou.

O ex-presidente alvinegro ainda criticou a forma como a atual direção do Santos tem conduzido a situação. Para Marcelo Teixeira, o imbróglio poderia ter sido evitado, caso o clube tivesse dado todo o amparo necessário.

"O maior erro do Santos foi a relação com o Paulo Henrique, quando o atleta estava machucado, carente, necessitado de apoio e de respaldo. Não é o Leonardo (técnico da Inter de Milão) quem tinha que dar esse apoio, é o clube. Quando você oferece um contrato daquele porte para o Neymar, tem que fazer também um plano de carreira digno para o Ganso", criticou.

"A partir desse desgaste, o Santos está sofrendo com uma série de erros e equívocos. Em todos os momentos, a direção coloca o Paulo Henrique contra a torcida", encerrou Teixeira.

Ganso tem vínculo até 2015 com o Santos e a multa rescisória está estipulada em 50 milhões de euros (cerca de R$ 114 mi) para o exterior. Milan e Inter de Milão, ambos da Itália, são os principais interessados. Para o mercado interno, a multa de Ganso é de cerca de R$ 60 milhões.

Ex-presidente rebateu críticas de Luis Álvaro quanto ao encaminhamento da carreira de Ganso
Ex-presidente rebateu críticas de Luis Álvaro quanto ao encaminhamento da carreira de Ganso
Foto: Divulgação
Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

publicidade