1 evento ao vivo

Futebol

Del Nero planeja se licenciar da presidência da CBF

Rafael Ribeiro/CBF / Divulgação
17 ago 2015
11h02
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Pressionado por se recusar a deixar o País e não representar o futebol brasileiro em várias eventos internacionais, o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, cogita a possibilidade de se licenciar do comando da entidade. Ele manteria assim o controle sobre a confederação e evitaria que seu adversário político, Delfim Peixoto, chegasse ao poder - o que ocorreria se Del Nero renunciasse ao cargo.

A temperatura política ditada pela CPI do Senado, criada recentemente para investigar corrupção no futebol, vai ser determinante para a decisão de Del Nero. Se a exposição da entidade e do próprio dirigente for além do que ele imagina, o pedido de licença estará amadurecido.

Segundo o Terra apurou com outro nome de muita influência no futebol brasileiro e muito próximo a Del Nero, o dirigente estaria definindo para quem passaria o bastão ao se licenciar da presidência. Como não há exigência de que o vice mais idoso assuma sua vaga (só é assim no caso de renúncia), ele escolheria entre todos os cinco vices o seu substituto. José Maria Marin, preso na Suíça, ainda mantém o cargo de vice do Sudeste, mas, por questões óbvias, está fora da disputa.

Delfim Peixoto, do Sul, e Del Nero estão rompidos e integram hoje dois grupos antagônicos na CBF. Já Fernando Sarney, vice do Norte, não admite nem mesmo discutir a hipótese de presidir a entidade. Acredita que isso lhe traria um desgaste muito grande, com embates constantes com a imprensa e todo o universo do futebol. Restariam Gustavo Dantas, do Nordeste, e o deputado federal Marcus Vicente (PP-ES), do Centro-Sul.

A preferência de Del Nero é por Vicente, que faz parte da bancada da bola e já defende com desenvoltura os interesses da CBF em Brasília. Mas ele ainda não bateu martelo. Para os dois amistosos da Seleção em setembro, nos Estados Unidos, contra Costa Rica e os norte americanos, o presidente designou Gustavo Dantas como chefe da delegação. O afago poderia compensar a opção futura por Vicente.

Del Nero esclarece contratos com patrocinadores em Brasília

Já cientes de que a licença é uma medida politica cada vez mais provável, Dantas e Vicente têm se articulado nos últimos dias, dispostos a atrair a simpatia de presidentes de federações estaduais. O vice do Nordeste convocou reunião com seus colegas da região para esta semana. Já Vicente marcou encontro com os dirigentes das entidades do Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Todos em busca de apoio político.

De acordo com o estatuto da CBF,  Del Nero pode se licenciar por seis meses, voltar após esse período e reocupar o cargo por um dia e entrar novamente de licença por mais 180 dias. Ele tem evitado viagens internacionais desde que José Maria Marin e outros nomes da cúpula do futebol mundial foram presos na Suíça em 27 de maio, por crimes de corrupção. Marin e Del Nero eram inseparáveis no comando da CBF desde 2012.

A CBF não se pronunciou sobre o eventual pedido de licença de Del Nero.

 

Fonte: Silvio Alves Barsetti
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade