0

Mario Balotelli é confirmado como reforço do Milan até junho de 2017

29 jan 2013
15h10
atualizado às 15h32

O Milan finalmente acertou a contratação do centroavante que sua torcida tanto esperava. O polêmico Mario Balotelli foi liberado pelo Manchester City por cerca de 20 milhões de euros (R$ 53 milhões) e viajará até Milão para fazer exames médicos no San Siro. Depois de cumprir com o procedimento padrão, o jogador se reunirá com a diretoria para firmar contrato até 2017 com o time rossonero.

Balotelli está com 22 anos e ganhou fama pelos diversos problemas extracampo acumulados na Itália e na Inglaterra. Após chamar atenção com os gols marcados na Inter de Milão, o jogador se envolveu em confusões com o então técnico José Mourinho, diretoria e até torcedores. Vendido ao Manchester City por 30 milhões de euros (R$ 80 milhões), o atleta voltou a se destacar e se envolver nos mesmos problemas que haviam minado a sua permanência no Giuseppe Meazza.

Desafeto do técnico Roberto Mancini, Balotelli chegou a trocar empurrões com o seu comandante durante treinamentos. O jogador também foi processado por colocar fogo no banheiro de sua casa e recebeu pesadas multas por atirar dardos nos jogadores das categorias de base. Apesar de as polêmicas e de sua agitada vida noturna terem marcado sua passagem pela Inglaterra, o atacante também foi essencial para o City na última temporada e se firmou como um dos protagonistas da campanha que levou a equipe ao título da Premier League.O canal de televisão do Milan já confirmou a contratação de Mario Balotelli, mas não divulgou os valores envolvidos na negociação. Especula-se que o City poderá receber outros R$ 8,2 milhões com os objetivos cumpridos pelo 'Supermario' na Itália. O dinheiro investido em sua transferência é praticamente o mesmo que entrou nos cofres rossoneros após a venda de Alexandre Pato para o Corintinhas.

Mesmo com a recusa inicial dada pelo presidente Silvio Berlusconi, Balotelli foi contratado depois de Didier Drogba definir a sua ida para o Galatasaray na última segunda-feira. O mandatário havia dito que o atacante "não o convencia como homem" e tinha praticamente encerrado o sonho da torcida em ver o atleta jogando no San Siro. Porém, a ausência de grandes nomes no mercado e o plantel limitado do técnico Massimiliano Allegri forçaram o dirigente a voltar atrás em suas declarações e acertar os últimos detalhes envolvidos na negociação.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

publicidade