1 evento ao vivo

Mauro Galvão lamenta forma como algumas promessas deixaram a base

20 mar 2013
11h19

Mauro Galvão é conhecido por seu estilo cavalheiro em suas relações no meio esportivo. Diretor da base vascaína, o ex-zagueiro lamenta algumas atitudes que enxerga no mundo do futebol. Recentemente, o Vasco perdeu dois jovens jogadores em verdadeiros imbróglios. Mosquito e Foguete saíram do clube de São Januário de forma pouco amistosa.

O primeiro foi contratado pelo Atlético-PR, rompendo um acordo de cavalheiros, que havia entre os clubes. O caso de Foguete não foi muito diferente. O lateral, que havia assinado com o Vasco até 2015, conseguiu na Justiça uma rescisão unilateral e deixou a Colina. O Vasco ainda tentou recorrer na época, mas a situação acabou com o mesmo cenário.

- Esses casos fogem um pouco à regra. Os demais estão trabalhando, seguindo a vida no Vasco e estamos procurando, dentro do possível, fazer com que todos estejam bem seguros. É claro que o problema todo que o Vasco passou na questão financeira atrapalhou bastante, mesmo assim, acho que muitas vezes dentro do futebol, existem pessoas que vivem em torno e procuram tirar proveito de algumas situações. Teremos mais atenção e cuidado com os nossos atletas que estão aqui. Porque eles se foram e não temos mais interesse neles. O acordo feito com o Mosquito nem foi com o Atlético Paranaense, foi mais com o empresário do atleta. Futebol tem o lado bom e o que é um pouco obscuro, e temos que saber lidar com isso - afirmou, à Rádio Livre.

O lado bom do futebol, lembrado por Mauro Galvão, pode ser traduzido por dois nomes em São Januário. Os atacantes Marquinhos e Yago já treinam entre os profissionais, fazendo uma espécie de estágio, e criam esperanças dentro do clube de São Januário.

- Sempre converso com o pessoal do profissional para fazer essa transição com calma. Estamos fazendo um rodízio com os atletas para eles treinarem e se ambientarem para aquilo se tornar uma coisa natural. Os dois têm potencial, eles jogam na mesma posição, pelos lados, e acredito que eles tenham condições de permanecer no profissional. O pessoal vai saber esperar o momento certo. O Vasco está em formação e não é uma coisa tão simples de você ficar no time principal - destacou.

Fonte: Lancepress! Lancepress!
publicidade