1 evento ao vivo

Artilheiro, Leandro esquece impasse Palmeiras x Grêmio: "deixa acontecer"

23 mai 2013
07h56
atualizado às 12h09
  • separator
  • 0
  • comentários

O atacante Leandro tem contrato com o Palmeiras, por empréstimo junto ao Grêmio, até o final de 2013, mas há pelo menos um mês uma dúvida passa pelos bastidores do clube: como contratar em definitivo o artilheiro do clube na temporada até o momento? Sem jogar a Copa Libertadores e mesmo perdendo o início do Paulista, ele fez mais gols que o restante do ataque palmeirense: foi às redes seis vezes. Com início da Série B do Campeonato Brasileiro, seu valor pode aumentar ainda mais.

<p>Com seis gols, Leandro é o artilheiro da temporada no Palmeiras</p>
Com seis gols, Leandro é o artilheiro da temporada no Palmeiras
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

“Eu estou focado só meu trabalho. Isso aí (situação contratual) deixa acontecer. Tem muito tempo até o final do ano”, minimizou o jogador, que chegou ao Palmeiras como parte do pacote em troca da negociação do atacante Barcos, reforço gremista. Apresentado, revelou carinho familiar pelo clube. Marcou gol na estreia e ganhou o apoio da torcida, mesmo jogando pouco. Para a Série B do Campeonato Brasileiro, é a principal esperança de gols.

“Acho que, junto com toda a equipe, fui feliz. Eles me ajudaram muito. Poderia muito bem ter sido qualquer um deles, qualquer um poderia ter marcado os seis gols e eu não ter feito nenhum. Isso não faz diferença nenhuma”, afirmou o atleta, que admitiu a artilharia da competição como objetivo pessoal, embora tenha endossado o discurso “mais importante é o Palmeiras conquistar o acesso”.

A valorização de Leandro levantou algumas questões no clube, principalmente críticas pela forma como foi conduzida a negociação de Barcos. No acerto com o Grêmio, o Palmeiras não fixou valor para ficar com o jogador de forma definitiva. O valor da multa rescisória seria, então, a única referência financeira em um possível acordo: 5 milhões de euros (R$ 13 milhões). Por Barcos, o Palmeiras recebeu R$ 4 milhões, mais Leandro, Léo Gago e Rondinelly.

“Nunca joguei a Série B, não sei direto como é. Só vi alguns jogos, mas com certeza é muito difícil. Independentemente de o Palmeiras ser grande, a cada jogo os times que jogarão contra a gente vão querer dar o máximo. Teremos que matar um leão a cada dia. O objetivo principal é conseguir o acesso. Se algo mais vier, vou ficar bastante feliz”, disse o jogador, de olho na estreia neste sábado, contra o Atlético-GO, em Itu.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade