0

Santos se anima e ensaia "estratégia Barça" para reduzir pedida por Robinho

2 jul 2013
07h56
atualizado às 07h58
  • separator
  • comentários

O Santos voltou à carga para contratar o atacante Robinho, do Milan, da Itália. Após reprovar os valores pedidos, o clube se reanimou com a procura do clube italiano por um jogador para a mesma posição - primeiro o argentino Carlos Tévez, que acertou com a Juventus, e agora o japonês Keisuke Honda, do russo CSKA - e estuda adotar estratégia similar a do Barcelona para contratar Neymar, a inclusão de um amistoso que gere a renda como parte do pagamento, para, enfim, concretizar o sonho de repatiar o camisa 7

<p>Santos retoma sonho por Robinho, mas espera por abatimento em pedida de cerca de R$ 29 mi; salários são de R$ 1,3 mi mensais</p>
Santos retoma sonho por Robinho, mas espera por abatimento em pedida de cerca de R$ 29 mi; salários são de R$ 1,3 mi mensais
Foto: AP

A prática abateria os 10 milhões de euros (cerca de R$ 29 milhões) exigidos insistentemente pelos italianos, considerados inviáveis pelos 29 anos do jogador e que tornaria o investimento superior ao recebido com a venda de Neymar. Robinho segue na Baixada Santista, de férias.

"As cifras levantadas pelo representante do Milan, tanto os valores destinados a eles quanto ao Robinho, consideramos elevados. É mais ou menos isso (R$ 1,3 milhão mensais). Acho muito difícil, a gente vem conversando com o Milan, são pessoas que o Robinho indicou, mas os números apresentados, se não sofrerem nenhuma revisão, torna o negócio impossível”, afirmou Odílio Rodrigues, vice-presidente santista, após a prestação de contas pela venda do ex-camisa 11 ao Barcelona no último dia 17.

Pelo seu principal jogador, o Santos embolsou 9 milhões de euros (cerca de R$ 26 milhões) referentes a seus 55% na negociação. Entraram no trato, no entanto, a realização de dois amistosos, o primeiro deles em 2 de agosto, válido pelo Troféu Joan Gramper, em Barcelona, além da cessão de preferência na compra de algumas promessas da base. A segunda informação é negada pela diretoria.

O sonho de trazer Robinho já foi confirmado por dirigentes santistas antes mesmo da saída de Neymar. Entre dezembro do último ano e janeiro, o clube fracassou nas negociações, principalmente, pela alta pedida salarial, cerca de R$ 1,3 milhão mensais, e o valor exigido pelos italianos: os mesmos 10 milhões de euros (R$ 27 milhões à época).

O clube, então, optou pelo acerto com o argentino Walter Montillo para a vaga de Ganso, recém-negociado com o rival São Paulo. Pesa favoravelmente, agora, o recente desentendimento do jogador com o técnico Massimiliano Allegri.

O Santos discutiu em diversas reuniões do Comitê Gestor a chance de repatriar o atacante, mas chegou a avisar a membros de torcida organizada a impossibilidade de trazê-lo justamente pelas altas cifras. O posicionamento dos italianos foi dado pelo brasileiro Serginho, ex-lateral do clube italiano e atual consultor técnico rossonero. O recente interesse em Honda, por sua vez, foi noticiado pelo jornal Corriere dello Sport.

"Conversamos pouco (recentemente), mas ele está muito bem no Milan, feliz apesar de ter sido pouco utilizado e pelas contusões. O Robinho sabe que tem o seu valor para a torcida e para a diretoria. Ele só sairia por uma situação muito boa. Retornar ao Brasil é estar mais próximo da Seleção Brasileira, que acreditarmos ainda ser um sonho dele. Outro ponto que sinto é que ele quer voltar ao Santos pela história bonita que construiu", disse Serginho.

Desde a saída de Neymar, o Santos só anunciou o atacante Willian José, ex-Grêmio, mas deve oficializar nos próximos dias as contratações dos laterais Cicinho, já aprovado nos exames médicos, e de Mena, que chegou nesta segunda-feira ao País. O clube passa por reformulações administrativas com as recentes demissões de dois advogados e do superintendente de futebol Felipe Faro.

Fonte: K.R.C.DE MELO & CIA. LTDA – ME K.R.C.DE MELO & CIA. LTDA – ME
  • separator
  • comentários
publicidade