0

Na volta de Ganso à Vila, Miralles e Neymar roubam a cena e Peixe vence San-São

3 fev 2013
19h07
atualizado às 19h14

Na época em que atuavam juntos, Neymar e Ganso faziam um dupla que infernizava os adversários. Agora, em lados opostos, o camisa 11 santista teve no 'parça à gringa' Miralles o companheiro para desequilibrar o jogo e levar o Santos à vitória por 3 a 1 diante do São Paulo, neste domingo, pela quinta rodada do Paulistão Chevrolet. O argentino marcou dois gols e Neymar fez um e duas assistências. Pelo Tricolor, Jadson marcou em cobrança de falta.

Na próxima rodada, o Santos encara o Linense, nesta quarta-feira, às 19h30, fora de casa. Já o São Paulo recebe a Ponte Preta, no mesmo dia, às 22h, no estádio do Morumbi.

O JOGO

O meia Paulo Henrique Ganso saiu do Santos e foi ao São Paulo em setembro de 2012. De lá para cá, muito se projetou de como seria a recepção da torcida santista ao agora camisa 8 do Tricolor. E, a atmosfera criada foi hostil para o jogador. Com coro de mercenário, traidor, além de palavrões, o jogador pisou no gramado da Vila Belmiro pela primeira vez após a negociação. Do lado de fora, bastantes mensagens e faixas o criticando. Das arquibancadas ao campo, muitas moedas. Antes do jogo, Ganso ainda foi abraçado pelo seu 'parça' Neymar. Com a bola rolando, Ganso começou no lado esquerdo, mas depois atuou mais centralizou.

O Santos, com três vitórias e um empate até então, queria a vitória para voltar à liderança. O jogo foi bem movimentado, com as equipes trabalhando a bola no meio de campo, mas sem muito ímpeto para finalizações. E, em uma das poucas chances, Luis Fabiano fintou o goleiro, mas perdeu a chance. Pelo lado do Peixe, Neymar, participativo, mas pouco incisivo, não criava com qualidade.

Denis, que entrou no lugar de Rogério Ceni, vetado por conta de uma contusão no ombro esquerdo, não foi exigido. E, com o jogo morno, o Santos fez a galera delirar. Neymar recebeu passe de Guilherme Santos, dominou errado, mas ainda tocou para Miralles, que só escolheu o canto e foi comemorar. Até com as típicas dancinhas.

Na sequência, o lance polêmico para 'as discussões na mesa de bar'. Luis Fabiano marcou após cobrança de falta, mas a assistente anulou. Na jogada, Rhodolfo, em posição irregular, participou do lance e Tatiane Camargo marcou irregularidade antes da conclusão. O jogo, morno, esquentou na saída do intervalo, quando torcedores atiraram moedas na direção de Ganso.

Na segunda etapa, o jogo quente ferveu no terceiro minuto. Paulo Miranda fez pênalti infantil em Neymar, que o juiz marcou e o camisa 11 anotou para o tento. O gol deixa ele com nove tentos no San-São em 11 jogos.

Mais eletrizante, Neymar começou a aparecer mais, com dribles rápidos e toques precisos. Ney Franco, então, com desvantagem no placar, tirou dois jogadores e promoveu Cañete e Douglas. O argentino deu um novo ritmo ao jogo e quase marcou um gol. Mas, quem fez foi Jadson. O camisa 10 cobrou falta com perfeição, no ângulo, e fez o seu primeiro gol em clássico.

Mas, não deu muito tempo de comemorar e, em cruzamento de Neymar, Miralles marcou outro gol. Com dois de diferença, o São Paulo continuou em cima, mas deixou brechas atrás. Ganso, em seu retorno, foi substituído com um coro de vaias. Seu 'parça' Neymar, continuou desequilibrando e quase fez um golaço.

No final, a torcida santista gritou 'olé' e pôde comemorar uma vitória, que foi a primeira derrota de Ney Franco em clássicos. Montillo até chutou na trave, mas a tarde era de Neymar e Miralles...

FICHA TÉCNICA

SANTOS 3 X 1 SÃO PAULO

Local: Vila Belmiro, Santos (SP)

Data/Hora: 3/2/2012 - 17h (de Brasília)

Árbitro: Flávio Rodrigues Guerra (SP)

Auxiliares: Herman Brumel Vani (SP) e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (SP)

Renda/Público: R$ 383.960 / 14.283 presentes

Cartões Amarelos: Renê Júnior (SAN); Denilson e Cañete (SAO)

Cartão Vermelho: -

GOLS: Miralles, aos 38'/1ºT (1-0); Neymar, aos 3'/2ºT (2-0); Jadson, aos 19'/2ºT (2-1) e Miralles, aos 24'/2ºT (3-1)

SANTOS: Rafael; Bruno Peres, Neto, Durval e Guilherme Santos; Arouca (Felipe Anderson, 41'/2ºT), Renê Júnior, Cícero e Montillo; Miralles e Neymar. Técnico: Muricy Ramalho.

SÃO PAULO: Denis; Paulo Miranda (Douglas, 10'/2ºT), Lúcio, Rhodolfo e Cortez; Wellington (Cañete, 10'/2ºT) e Denilson; Jadson, Ganso (Aloísio, 32'/2ºT) e Osvaldo; Luis Fabiano. Técnico: Ney Franco.

Fonte: Lancepress! Lancepress!

compartilhe

publicidade
publicidade