1 evento ao vivo

Nos pênaltis, Brasil Sub-20 "ensina marmanjos" e bate Espanha

14 ago 2011
22h40
atualizado às 23h22

A Seleção Brasileira está na semifinal do Mundial Sub-20. Em uma eletrizante partida contra a Espanha, na noite deste domingo, o time de Ney Franco levou a melhor nos pênaltis, com vitória por 4 a 2, após empate por 2 a 2 no tempo normal e também na prorrogação. O duelo ocorreu em Pereira, no Estádio Hernan Ramírez Villegas.

A vitória brasileira também teve gostinho de lição para os marmanjos, que no último mês caíram na Copa América, contra o Paraguai, ao errar quatro pênaltis. Com Mano Menezes nas tribunas de olho na partida, o Brasil teve 100% de aproveitamento e Casemiro, Danilo, Henrique e Dudu converteram suas penalidades. Gabriel, goleiro do Cruzeiro, defendeu duas cobranças dos espanhóis e decretou o 4 a 2.

O triunfo serve como vingança para a Seleção no Mundial Sub-20. Afinal, na edição retrasada, em 2007, a Espanha despachou o Brasil nas oitavas de final na prorrogação. Desta vez, a sorte estava ao lado dos brasileiros.

A Seleção Brasileira volta a campo por um lugar na final do Mundial Sub-20 às 21h (de Brasília) da quarta-feira, em Pereira, contra o México. A outra semifinal ocorre no mesmo dia, às 19h, com França e Portugal em Medellín.

O eletrizante Brasil x Espanha

Depois de primeiros minutos mais estudados, brasileiros e espanhóis fizeram uma etapa inicial bastante movimentada em Pereira. Apesar de ameaçar com Oscar, em finalização por intermédio de contragolpe puxado por ele próprio, o Brasil passou mais dificuldades em seguida.

Aos 18min, Tello assustou o Brasil em chute que desviou em Casemiro e quase encobriu Gabriel. No minuto seguinte, o bom meia Isco fez novamente o goleiro cruzeirense trabalhar. Aos 23min, Rodrigo apareceu pela esquerda e concluiu após bonito domínio para nova defesa do brasileiro, que também impediu gol de Oriol em chute de longe.

Dominado na partida, o time de Ney Franco abriu o marcador no contra-ataque. Coutinho serviu Henrique, que chutou de longe no travessão. Atento no rebote, Willian José só empurrou para o fundo da rede aos 34min da primeira etapa.

O gol brasileiro chegou a desestabilizar os espanhóis, que perderam o controle da partida e por muito pouco não sofreram o segundo. A Seleção teve oportunidade de criar e a melhor chance veio aos 39min. Danilo serviu Henrique que teve a faca e o queijo na mão para aumentar o marcador, mas foi parado por Fernando Pacheco.

Na etapa final, a Espanha se reencontrou e foi a equipe a merecer o marcador. Oscar foi quem teve a primeira oportunidade, aos 8min, mas os espanhóis conseguiriam a igualdade logo depois. Às costas de Gabriel Silva, Mallo foi à linha de fundo sem ser incomodado e serviu Rodrigo, que testou com violência.

Os espanhóis se acenderam de vez após o empate e Koke, aos 22min, e Rodrigo, aos 25min, por pouco não complicaram a vida da Seleção Brasileira no Mundial Sub-20. Com sua equipe acuada, Ney Franco apostou em Dudu e Negueba, nos lugares de Coutinho e Willian José, para tentar reequilibrar as ações.

As mexidas trouxeram mais equilíbrio ao jogo, com as equipes também mais preocupadas em arrastar o duelo até a prorrogação. Em contragolpe de Negueba pela esquerda, Danilo recebeu na área e, desequilibrado, isolou a finalização. Já a Espanha, em saída de bola errada de Juan, teve a chance com Rodrigo, que se atrapalhou e sequer concluiu a gol. Assim, a partida acabou tendo mais 30 minutos para se decidir.

A prorrogação entre brasileiros e espanhóis foi tão emocionante quanto os 90 minutos iniciais. Isco, aos 3min, ameaçou arrematando bola solta sobre o gol de Gabriel com grande perigo. O Brasil então perdeu Oscar, muito cansado e que vinha sendo um dos melhores em campo. Ney Franco optou pela entrada de Allan, volante e meia do Vasco.

E foi com essa formação que, aos 12min, o Brasil abriu vantagem. Henrique acertou bonito passe para Dudu, que ganhou do lateral e chutou com estilo de pé direito, sem chances para Fernando Pacheco. A Espanha nem deu tempo para a Seleção respirar e empatou. Planas foi à linha de fundo e serviu Vázquez.

A segunda etapa da prorrogação foi marcada por equilíbrio e, nos últimos minutos, pelo Brasil jogando em cima. Negueba, que entrou em campo muito disposto, criou pelo menos dois bons lances, mas errou na hora de decidir. Assim, a partida foi para os pênaltis.

O Brasil, que havia sido eliminado da Copa América com aproveitamento pífio nos pênaltis, teve 100% de aproveitamento e contou com a inspiração do goleiro Gabriel. Casemiro, Danilo, Henrique e Dudu colocaram no fundo das redes. A Espanha, que já saiu atrás com Amat parando no arqueiro brasileiro, fez com Sergi Roberto e Bartra, mas viu Vazquez também parar em Gabriel.

Ficha do jogo

Brasil 2 (4) x (2) 2 Espanha

Gols
Brasil: Willian José, aos 34min do 1º tempo, e Dudu, aos 12min do 1º tempo da prorrogação
Espanha: Rodrigo, aos 11min do 2º tempo, e Vazquez, aos 13min do 1º tempo da prorrogação

Brasil: Gabriel; Danilo, Bruno Uvini, Juan e Gabriel Silva; Casemiro e Fernando; Coutinho (Dudu), Oscar (Allan) e Henrique; Willian José (Negueba)
Treinador: Ney Franco

Espanha: Fernando Pacheco; Hugo Mallo, Marc Bartra, Jordi Amat e Carles Planas; Canales (Daniel Pacheco), Koke, Oriol Romeu e Isco; Cristian Tello (Sergio Roberto) e Rodrigo (Alvaro Vazquez)
Treinador: Julen Lopetegui

Cartões amarelos
Brasil: Willian José, Henrique
Espanha: Isco, Vázquez

Árbitro
Walter Lopez (Guatemala)

Local
Estádio Hernan Ramírez Villegas, em Pereira (Colômbia)



Fonte: Terra

compartilhe

publicidade