inclusão de arquivo javascript

Futebol

 
 

Juninho Fonseca assume como técnico do Corinthians

14 de outubro de 2003 17h13

São Paulo - O diretor-técnico do Corinthians, Roberto Rivellino, disse que o clube deve, em princípio, contratar um treinador que fique apenas até o final do ano. Será o treinador do júniores, Juninho Fonseca.

"Não descartamos trazer um nome de fora. Mas a solução para o final do campeonato está aqui dentro do Parque São Jorge mesmo. o Juninho Fonseca (treinador dos juniores) vai assumir o comando da equipe", disse.

Segundo Rivellino, o auxiliar-técnico Jairo Leal, que seria uma opção, prefere não aceitar a função pois tem compromisso com Carlos Alberto Parreira. Ele também é o auxiliar técnico da Seleção.

Juninho Fonseca foi ex-jogador (esteve na Copa de 82 como reserva do Oscar) e treinou alguns times do interior paulista, além da Portuguesa.

AINDA ESTE ANO

Roberto Rivellino, diretor técnico de futebol do Corinthians, disse também que o clube vai procurar ainda este ano um novo treinador para a equipe.

Júnior, que assumiu o time há dez dias, pediu demissão na última segunda-feira, alegando que não via como dar um retorno positivo ao Timão. Nas duas partidas em que comandou o time, o Corinthians perdeu para São Caetano e São Paulo.

Segundo o diretor-técnico, a intenção do clube é que o novo treinador seja contratado já, mas assuma o time apenas em janeiro de 2004. Nesse período de final de ano, o técnico observaria o elenco e faria planos para a próxima temporada.

Rivellino disse que Júnior saiu do Timão por ter errado a avaliação que fez da equipe. Ele explicou aos dirigentes que não deveria ter assumido o comando do time sem saber se poderia fazer um bom trabalho.

"Fico frustrado. Ele alegou que estava muito aflito, muito tenso e quis marcar uma reunião na segunda-feira", contou Rivellino.

Ainda segundo o diretor técnico, o presidente do clube, Alberto Dualib, e o vice, Antônio Roque Citadini, tentaram fazer Júnior desistir da demissão, mas o ex-jogador não cedeu e confirmou mesmo que estava deixando o clube.

?Não estou magoado nem triste. Mas chegamos juntos e foi eu que indiquei. Os dirigentes ainda tentaram fazê-lo desistir, mas não deu certo?, lamentou Rivellino.

Outro que se disse frustrado foi Citadini. "Não estou decepcionado não. Confesso que fiquei um pouco frustrado, pois estamos com vontade de fazer um bom trabalho. Mas temos que aceitar e, no caso, ele estava agindo corretamente, disse que estava fazendo um bem para o clube", disse o dirigente à Rádio Jovem Pan.

Citadini confessa que não teria como contratar um atacante, maior deficiência constatada por Júnior, nesse final de ano, mas afirma que deu apoio ao treinador.

"Temos o objetivo de um trabalho de longo prazo, pois temos algumas dificuldades atuais que não tem como superar, temos deficiências. Não temos como contratar jogadores agora. Demos apoio para esse trabalho, mas ele disse que não se sentia na condição de render o que deveria render", explicou o vice.

VAMPETA QUER OSWALDO

Se depender do volante, Oswaldo de Oliveira, que deixou o Flamengo no domingo, voltará ao Parque São Jorge. O treinador dirigiu o Corinthians em 99/2000 e conquistou um Campeonato Paulista, um Brasileiro e o Mundial Interclubes da Fifa.

"Eu, particularmente, gostaria muito de ver o Oswaldo aqui de novo, já que ele está dando sopa."

Vampeta, ainda fora dos gramados devido a uma lesão no joelho, brincou com os companheiros quando chegou ao clube nesta terça. "Estamos órfãos de novo!"

VEJA TAMBÉM

  • As últimas informações sobre o Corinthians
  • Redação Terra