3 eventos ao vivo

Premiê do Togo critica falta de cooperação da Confederação

11 jan 2010
15h10
atualizado às 16h56

O primeiro-ministro do Togo, Gilbert Houngbo, criticou nesta segunda-feira na BBC os organizadores da Copa Africana de Nações (CAN) pela falta de cooperação e informações após o ataque do ônibus da seleção togolesa.

"Esperávamos ter uma discussão serena com o país anfitrião (Angola) e com a Confederação Africana de Futebol (CAF) para fazer um balanço do que aconteceu e das providências que seriam tomadas. Mas não recebemos nenhuma cooperação da CAF em termos de avaliação da situação", lamentou o chefe do governo togolês.

"Nossa análise é que eles querem que o assunto seja encerrado e que o espetáculo continue como previsto", declarou.

Os organizadores do torneio "não nos deram garantias" sobre a segurança dos jogadores, acrescentou o primeiro-ministro para justificar a decisão tomada "a contragosto" de repatriar a equipe, apesar da vontade dos jogadores de disputar a Copa Africana.

A seleção togolesa deixou na noite de domingo o território angolano de Cabinda, onde deveria disputar seu primeiro jogo nesta segunda-feira.

O ataque de sexta-feira, reivindicado pelos separatistas das Forças de Libertação do Estado de Cabinda-Posição Militar (FLEC-PM), deixou pelo menos três mortos na delegação togolesa.

Atentado deixa premiê togolês revoltado
Atentado deixa premiê togolês revoltado
Foto: Reuters
AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade