3 eventos ao vivo

Rafael faz defesas brilhantes e classifica Santos para as quartas

4 mai 2011
00h40
atualizado às 01h01

A dupla Paulo Henrique Ganso e Neymar foi coadjuvante na madrugada desta quarta-feira e viu um personagem menos badalado colocar o Santos nas quartas de final da Copa Libertadores da América: Rafael. O goleiro brilhou no México e, com importantes defesas no segundo tempo, segurou o empate por 0 a 0 com o América-MEX, que classificou a equipe de Muricy Ramalho graças, também, à vitória por 1 a 0 no jogo de ida, semana passada, na Vila Belmiro.

Rafael fez quatro difíceis intervenções no segundo tempo e ainda contou com a trave na etapa inicial para garantir a meta intacta contra o América, que, na primeira fase, venceu o Fluminense até então comandado por Muricy Ramalho por 1 a 0, no Estádio Azteca. Nesta quarta, o confronto foi realizado na cidade de Querétaro uma vez que a imponente arena da capital mexicana receberá um show do U2.

Primeiro dos oito classificados para as quartas de final, o Santos aguarda na próxima fase o Cruzeiro. O time mineiro, invicto na Libertadores até agora, venceu o Once Caldas por 2 a 1 no jogo de ida na Colômbia e pode perder por 1 a 0 nesta quarta, em Sete Lagoas, para avançar.

Rafael só brilhou no segundo tempo, apesar de os mexicanos tratarem de ir ao ataque logo nos primeiros instantes da partida de Querétaro, no apinhado Estádio Corregidora. Apoiado por sua torcida, o América não deu muito espaço para o Santos nos minutos iniciais e manteve a posse de bola no campo de ataque.

O primeiro lance mais agudo dos anfitriões saiu aos 4min, quando o meia argentino Daniel Montenegro cobrou falta do lado direito do ataque do América. A bola cruzou a pequena área, o goleiro Rafael saiu mal e o Juan Carlos Valenzuela, com o gol aberto, não conseguiu encostar a cabeça para abrir o marcador.

A jogada empolgou os mexicanos, que passaram a gritar "olé" durante uma troca de bola do América com apenas cinco minutos de bola rolando e a equipe atrás no placar agregado do confronto. O Santos só conseguiu dar sua primeira finalização aos 13min, quando Paulo Henrique Ganso cobrou falta e Guillermo Ochoa segurou bem.

O time brasileiro, que chegou poucas vezes ao ataque durante os 45 minutos iniciais, não caprichou na pontaria quando chutou para o gol. O Santos teve outras três finalizações no primeiro tempo, com Danilo, Arouca e Jonathan: todas de fora da área, todas para fora.

Mais perigoso foi o América, que teve duas outras oportunidades para ampliar. Aos 22min, o lateral Aquivaldo Mosquera subiu mais que a zaga alvinegra e acertou a trave. A bola ainda ricocheteou em Rafael, que desabou, e sobrou para o atacante Matías Vuoso, que finalizou para fora.

Oito minutos depois a torcida em Querétaro teve que engolir novamente o grito de gol quando Montenegro recebeu nas costas de Jonathan, invadiu a área e cruzou na pequena área. O atacante Vicente Sánchez se esticou e até triscou o bico da chuteira na bola, mas sem a força suficiente para desviar a trajetória para o fundo das redes de Rafael.

O Santos voltou ao gramado do Estádio Corregidora com mais disposição ofensiva no segundo tempo e, apenas em cinco minutos, finalizou três vezes. Em uma delas, aos 4min, Ganso cobrou falta que ele mesmo sofreu do volante brasileiro Rosinei e acertou a trave de Ochoa, em um belo chute colocado.

A partida, que não teve cartões amarelos ao longo do primeiro tempo, ficou quente após Sánchez dar um chute em Léo aos 7min. O lance esquentou o jogo, e o América teve outros dois jogadores advertidos pelo árbitro equatoriano Carlos Vera em questão de cinco minutos: Valenzuela e Diego Reyes, após acertarem Neymar. Nesse meio-tempo, Arouca deixou o campo contundido.

Os mexicanos voltaram a dar trabalho à zaga santista somente aos 18min, em um chute forte a longa distância disparado por Ángel Reyna, que Rafael espalmou para escanteio. O camisa 1 santista voltou a executar uma importante defesa aos 25min, em uma cabeçada de Enrique Esqueda. Antes, aos 23, Edu Dracena teve ótima chance para o Santos, mas furou dentro da área e desperdiçou a chance de deixar a equipe brasileira com uma vantagem confortável.

A noite de Rafael em Querétaro foi corada com mais duas plásticas e difíceis defesas em duas jogadas de Reyna. O jogador, que havia entrado no segundo tempo, chutou forte da intermediária aos 30min e depois, aos 32min, tentou uma finalização mais colocada. Em ambas o arqueiro santista "voou" para intervir e garantir a equipe alvinegra na próxima fase da Libertadores.

Antes de iniciar a batalha em busca de uma vaga na semifinal da Libertadores, o Santos volta a campo neste domingo no primeiro jogo da decisão do Campeonato Paulista. Os comandados de Muricy Ramalho enfrentam o Corinthians, em clássico marcado para as 16 horas, no Estádio do Pacaembu.

América-MEX 0 x 0 Santos

América: Guillermo Ochoa; Aquivaldo Mosquera; Patricio Treviño, Juan Carlos Valenzuela e Oscar Rojas; Pavel Pardo (Ángel Reyna), Rosinei, Diego Reyes e Daniel Montenegro (Iván Gallardo); Vicente Sánchez (Enrique Esqueda) e Matías Vuoso. Técnico: Carlos Reinoso

Santos: Rafael; Jonathan, Edu Dracena (Alex Sandro), Durval e Léo; Arouca (Rodrigo Possebon), Adriano, Danilo e Paulo Henrique Ganso; Zé Eduardo (Bruno Aguiar) e Neymar. Técnico: Muricy Ramalho

Cartões amarelos
América: Valenzuela, Reyes, Sánchez, Reyna
Árbitro
Carlos Vera

Local
Estádio Corregidora, em Querétaro (México)





Rafael ofuscou a dupla Ganso e Neymar e, com importantes defesas, garantiu o Santos nas quartas de final
Rafael ofuscou a dupla Ganso e Neymar e, com importantes defesas, garantiu o Santos nas quartas de final
Foto: AP
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade