3 eventos ao vivo

Real consegue virada histórica em Old Trafford e avança às quartas da 'Champions'

5 mar 2013
20h31
atualizado às 20h36
  • separator

O Real Madrid conseguiu uma grande vitória de virada por 2 a 1 sobre o Manchester United em pleno Old Trafford, nesta terça-feira, na partida de volta das oitavas da Liga dos Campeões, garantindo sua vaga nas quartas após o empate em 1 a 1 na ida, no estádio Santiago Bernabeu.

Embalado depois de duas vitórias seguidas em clássicos contra o Barcelona, o time comandado pelo técnico português José Mourinho, que ocupa apenas a terceira posição do Campeonato Espanhol a 13 pontos dos catalães, se redimiu do seu péssimo início de temporada e continua sonhando no décimo título na maior competição de clubes da Europa.

Mourinho comemorou a classificação, mas surpreendeu ao declarar que seu time não mereceu vencer.

"Sempre procuro ser honesto e posso dizer que hoje a noite, a melhor equipe em campo perdeu. Jogamos bem dez minutos", reconheceu o treinador.

Todos os gols da partida foram marcados no segundo tempo. O United saiu na frente aos 3 com um gol contra de Sergio Ramos, mas o croata Luka Modric deixou tudo igual aos 21 e o português Cristiano Ronaldo deu a vitória aos 'merengues' três minutos depois.

Como aconteceu quando balançou as redes no jogo de ida, CR7 não comemorou em sinal de respeito aos torcedores do time de Manchester, no qual jogou de 2003 a 2009 e conquistou a Liga dos Campeões em 2008, ano em que foi eleito melhor jogador do mundo.

"Fui recebido de forma incrível pela torcida. Foi muito emocionante para mim, tanto que fiquei meio tímido e não consegui jogar como faço normalmente. Estou feliz por dentro pela classificação, mas também fico triste pela eliminação do United", afirmou o astro português.

Convocado nesta terça-feira pelo técnico Luiz Felipe Scolari para os amistosos da seleção brasileira contra Itália e Rússia, o brasileiro Kaká começou no banco de reservas, mas entrou em campo no fim do primeiro tempo no lugar do argentino Angel Di Maria, que saiu lesionado.

A vitória do Real estragou a festa do veterano galês Ryan Giggs, que disputou nesta terça-feira sua milésima partida como profissional.

O técnico escocês Alex Ferguson surpreendeu na sua escalação, ao deixar no banco o atacante Wayne Rooney e o japonês Kagawa, que marcou três gols no sábado na vitória por 4 a 0 sobre o Norwich pela Premier League.

Como era esperado, o Real partiu para cima logo no início da partida e o argentino Gonzalo Higuain teve uma boa oportunidade de abrir o placar aos 11 minutos de jogo após receber um bom passe de Ozil, mas não caprichou na pontaria.

No entanto, a maior chance da primeira etapa foi para o United. Aos 20, o zagueiro sérvio Nemanja Vidic carimbou a trave de cabeça numa cobrança de escanteio e Danny Welbeck não conseguiu aproveitar o rebote.

Cristiano Ronaldo mostrou muita disposição no seu retorno a Old Trafford e ameaçou com um belo chute aos 28, mas a bola foi desviada pela zaga inglesa.

O time de Manchester passou a pressionar mais no início do primeiro tempo e acabou abrindo o placar aos 3, em jogada confusa na área do Real, quando Sergio Ramos empurrou para as próprias redes um cruzamento rasteiro do meia português Nani.

O mesmo Nani passou de herói a vilão oito minutos depois, quando foi expulso após dar uma 'voadora' em Arbeloa.

O auxiliar técnico de Ferguson, Mike Phelan, ficou inconformado com o cartão vermelho aplicado no jogador, alegando que o lance foi involuntário e que português não quis atingir o adversário, mesmo jogando o pé na frente para uma dividida aréa.

"Esta decisão foi incrível. A onze contra o Real, já foi difícil, com um jogador a menos então, ficou muito pior. Estamos muito decepcionados, todo mundo está procurando explicações pelo que aconteceu", lamentou.

O lance polêmico mudou a cara da partida, dando mais ânimo ao Real, que chegou à virada com dois gols marcados em três minutos.

Aos 22, Modric, que havia entrado em campo dez minutos antes no lugar de Arbeloa, mostrou que tem estrela ao empatar a partida com golaço de fora da área. O croata recebeu a bola pelo meio, deu um corte num zagueiro e mandou uma bomba de 25 metros no canto do goleiro espanhol De Gea.

"Precisávamos de algo novo e Modric fez a diferença. Ele melhorou nossa saída de bola e deixou o nosso jogo mais direto. Sempre soube que era um grande jogador", elogiou Mourinho.

CR7 fez o gol da virada aos 25, ao surgir na segunda trave para empurrar para as redes um cruzamento rasteiro de Higuain, em grande jogada coletiva iniciada por um lindo toque de letra de Ozil para o argentino.

Com um homem a menos, o United precisava marcar dois gols para conseguir a classificação.

Para tentar reverter a situação, Ferguson colocou Rooney no lugar do volante Cleverley,

A mudança quase surtiu efeito aos 39, quando Rooney quase empatou a partida, mas a bola passou por cima do gol de Diego López.

CR7 ainda teve uma chance de fazer o terceiro do Real nos acréscimos, mas De Gea fez uma bela defesa com os pés.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade