0

Seleção vence jogo violento e estraga festa estoniana

12 ago 2009
16h07
atualizado às 17h14

Sem mostrar um grande futebol, a Seleção Brasileira teve trabalho para vencer a Estônia por 1 a 0, nesta quarta-feira, em amistoso disputado na Le Coq Arena, em Tallinn, capital do país báltico. Luís Fabiano marcou o gol da vitória no final do primeiro tempo.

» Fotos de Estônia x Brasil
» Dunga supera Parreira e quebra recorde pela Seleção
» Kléberson se lesiona e terá de passar por cirurgia no ombro
» Comente a partida

A partida, que comemorou o centenário da federação estoniana de futebol, teve festa apenas antes do jogo. Assim que a bola rolou, os europeus disputaram a sua "final de Copa do Mundo. O Brasil sentiu o cansaço do início da temporada e se mostrou nervoso principalmente nos 45 minutos iniciais.

De amistosa a partida não teve nada. Reclamações, empurrões, desentendimentos, entradas desleais. Com e sem a bola. O Brasil aceitou as provocações do adversário e demorou para focar apenas o jogo.

No intervalo, Kaká já culpava a falta de ritmo dos jogadores pelo desempenho abaixo do esperado. Ele, por exemplo, começou a treinar pelo Real Madrid há 11 dias e no domingo disputou amistoso nos Estados Unidos com a equipe espanhola.

Com a vitória, a equipe de Dunga confirma o desempenho impressionante na temporada. Foram 11 jogos, com dez vitórias e um empate. A Seleção tem agora um pouco menos de um mês para se preparar para o clássico contra a Argentina, dia 5 de setembro, em Rosário, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo.

Mesmo sem brilhar, o Brasil teve o domínio do primeiro tempo. Com a bola nos pés, tocou com paciência, mas errou sempre o último passe. Chutou a gol pela primeira vez aos 12min com Kaká. A Estônia já havia chegado à meta brasileira com finalização de Puri.

O país europeu, 112° colocado no ranking da Fifa, continuou levando perigo quando atacava. Vassiljev teve duas oportunidades de marcar, mas parou no goleiro seguro Júlio César em ambas.

Enquanto isso, o Brasil reclamava. Kaká com o juiz. Luís Fabiano com André Santos. Robinho com o goleiro Pareiko. Para piorar, aos 35min, Kléberson sofreu lesão no ombro e deixou o campo ao som de uma ¿marcha fúnebre¿ cantada pela torcida adversária. Elano entrou em seu lugar.

A Seleção chegou ao gol aos 42min em um lance de oportunismo de Luís Fabiano. A zaga estoniana tentou sair jogando e carimbou Kaká. A bola sobrou nos pés do atacante, que chutou com calma para definir a vitória parcial.

Dunga não mexeu no time no vestiário. Mas a conversa com o treinador deixou os brasileiros mais ligados. Os nervos se acalmaram e a Seleção criou mais. Felipe Melo perdeu boa chance logo no terceiro minuto.

Aí, como havia prometido, Dunga começou a fazer testes. Entre os jogadores que ganharam chances, estava Diego Tardelli, que fez a sua estréia com a camisa da Seleção.

O Brasil continuou com o domínio do jogo, mas nos minutos finais a Estônia esboçou uma pressão e deu um susto aos 45min, quando Voskoboinikov saiu na cara de Júlio César mas foi travado por Miranda. A partida continuou nervosa, com faltas violentas, empurrões e até a expulsão do estoniano Kruglov.

FICHA TÉCNICA

Estônia 0 x 1 Brasil

Gol
Brasil: Luís Fabiano, aos 42min do primeiro tempo

Ponto Forte da Estônia
- Não deu espaços e evitou a goleada

Ponto Forte do Brasil
- Conseguiu manter a posse de bola e não foi ameaçado

Ponto Fraco da Estônia
- Atacou pouco e não mostrou pontaria nas conclusões

Ponto Fraco do Brasil
- Não teve criatividade e não transformou a posse de bola em lances perigoso

Personagem do jogo
Luís Fabiano, autor do gol brasileiro

Polêmica
Nilmar teria sofrido pênalti nos acréscimos do segundo tempo

Esquema Tático do Estônia
4-4-2
Pareiko, Jääger, Piiroja, Klavan e Bärengrub; Puri (Ats Purje), Dmitrijev (Martin Vunk), Vassiljev e Lindpere (Dmitri Kruglov); Kink (Kristen Viikmae) e Zenjov (Voskoboinikov). Técnico: Tarmo Ruutli

Esquema Tático do Brasil
4-4-2
Júlio César, Maicon (Daniel Alves), Lúcio (Miranda), Luisão e André Santos; Gilberto Silva, Felipe Melo, Kléberson (Elano) e Kaká (Julio Baptista); Robinho (Diego Tardelli) e Luís Fabiano (Nilmar). Técnico: Dunga

Cartões Amarelos
Estônia: Sergei Pareiko e Aleksandr Dmitrijev
Brasil Felipe Melo, Nilmar, Daniel Alves, Luisão e Lúcio

Cartão Vermelho
Estônia: Dmitri Kruglov

Árbitro
Martin Ingvarsson (SUE)

Local
Le Coq Arena, em Tallinn (EST)


Jogo foi marcado por diversas confusões entre os dois times
Jogo foi marcado por diversas confusões entre os dois times
Foto: AFP
Fonte: Terra
publicidade