2 eventos ao vivo

Sem pressão da torcida, Timão bate San Lorenzo na Argentina e é líder isolado

5 mar 2015
00h11
atualizado às 00h11
  • separator
  • 0
  • comentários

Em confronto que colocou frente a frente dois dos últimos três campeões da Taça Libertadores nesta quarta-feira, o Corinthians se beneficiou da ausência de torcedores da equipe local, venceu o San Lorenzo por 1 a 0 no estádio Nuevo Gasómetro e se tornou líder isolado do grupo 2 do torneio continental.

O duelo aconteceu com portões fechados devido a incidentes protagonizados pela torcida do 'Ciclón' na derrota para o River Plate pela Recopa Sul-Americana, no mês passado. Sem o incentivo que vem das arquibancadas, o time anfitrião não mostrou a mesma garra que o levou ao título inédito em 2014 e caiu diante do vencedor da competição em 2012.

De quebra, o Timão ainda derrubou um tabu envolvendo equipes brasileiras. Foi a primeira vez que o técnico Edgardo Bauza perdeu como mandante para uma equipe do país, após ter acumulado nove vitórias, uma delas na final da Libertadores de 2008, em que dirigia a LDU contra o Fluminense, e três empates.

Com o resultado obtido em Buenos Aires, o bicampeão mundial, que estreou derrotando o rival São Paulo, soma seis pontos, contra três do Tricolor e do próprio San Lorenzo.

Lanterna da chave, ainda sem ter somado pontos, o Danubio é o próximo adversário do alvinegro paulista, em partida marcada para o dia 17 deste mês no estádio Jardines del Hipódromo, em Montevidéu. Um dia depois, o 'Ciclón' irá ao Morumbi encarar os são-paulinos.

O Corinthians teve três desfalques, dois deles ambos no ataque. Guerrero cumpriu o terceiro dos três jogos de suspensão por ter sido expulso ainda no primeiro duelo com o Once Caldas, e Emerson lesionou o joelho direito. Com isso, Danilo atuou adiantado mais uma vez, com o colombiano Mendoza como parceiro. Na defesa, Felipe, que perdeu a posição para Edu Dracena, sentiu dor de ouvido e foi cortado do banco.

No San Lorenzo, Edgardo Bauza não teve à disposição o volante Néstor Ortigoza, machucado, e escalou Mussis em seu lugar. No ataque, ele optou por escalar Matos isolado à frente e Quignón vindo de trás, na vaga de Barrientos.

O Timão levou um susto logo aos três minutos de partida. Buffarini levantou da esquerda, Blanco apareceu nas costas de Edu Dracena, que ficou apenas olhando, e cabeceou tirando tinta da trave esquerda.

Tocando a bola, o San Lorenzo deixa o Corinthians acuado no campo de defesa e criava chances. Blanco voltou a incomodar aos nove minutos, quando recebeu cruzamento de Romagnoli e finalizou. Gil entrou na frente e bloqueou a tentativa.

A equipe visitante enfim deu o ar da graça no campo de ataque aos 17. Jadson levantou na área em cobrança Edu Dracena tentou de cabeça e encobriu o travessão. Dois minutos depois, Mendoza acelerou pela esquerda e cruzou rasteiro até Danilo, que tinha espaço, mas furou feio e desperdiçou o ataque.

Aos poucos o jogo foi ficando equilibrado, mas mais por uma diminuição no ritmo por parte do San Lorenzo que por uma melhora no Timão. Porém, em dois lances seguidos, o time visitante exigiu que o goleiro Torrico trabalhasse. A primeira, aos 31 minutos, em cabeçada de Elias, que tabelou com Danilo; a segunda, num chute de longe de Renato Augusto, também depois de passe do camisa 20.

Aos 44 minutos, houve reclamação dos jogadores do 'Ciclón' e das poucas pessoas que puderam assistir à partida da tribuna, entre elas dirigentes e familiares de atletas, que ficaram pedindo pênalti. Romagnoli bateu falta, Matos cabeceou, e a arbitragem assinalou impedimento. Contudo, antes do arremate, Gil agarrou o adversário na área.

No intervalo, Tite se viu forçado a fazer uma troca. Danilo, que se machucou ainda no primeiro terço da etapa inicial, não resistiu às dores e deu lugar a Cristian, que fez sua estreia na Libertadores. Com isso, Elias atuou mais avançado. O camisa 7 já apareceu bem no ataque aos oito minutos, mas pecou na finalização e isolou.

Mas foi o 'Ciclón' quem esteve muito perto do gol no começo da etapa final. Aos dez, Quignón esticou para Más, que cruzou por baixo. Sozinho, Matos não pegou em cheio e acertou o pé da trave esquerda. Na sequência do lance, depois de cruzamento da direita, o centroavante errou de novo, desta vez em cabeçada.

Aparentemente adiantar Elias não tinha sido uma boa para o Corinthians, já que saída de jogo ficou prejudicada. No entanto, na sua característica, arrancando pelo meio, embora não como elementos surpresa, que o meia abriu o placar. O camisa 7 partiu em velocidade e tentou o passe para Jadson, mas a bola bateu na zaga e voltou para ele, que encheu o pé e acertou o ângulo, aos 20 minutos.

O 'Ciclón' até balançou a rede, mas a jogada foi invalidada. Aos 30, Cauteruccio, que entrara em lugar de Quignón, finalizou no canto direito após o cruzamento, mas foi flagrado em impedimento. Outro que foi a campo foi o meia Alan Ruiz, ex-Grêmio.

Os minutos finais foram de pressão do San Lorenzo, que, no entanto, esbarrou na própria falta de pontaria e nas defesas de Cássio. Aos 36 minutos, Alan Ruiz encheu o pé, o goleiro bateu roupa e Cauteruccio ficou com o rebote, mas seu chute foi desviado. Um minuto depois, Romagnoli mandou para a área por baixo, Caruzzo desviou de carrinho e tirou tinta do travessão.

Na derradeira chance dos donos da casa, aos 40 minutos, Cássio mostrou por que é ídolo da fiel torcida. Romagnoli cobrou falta na cabeça de Cauteruccio, que arrematou firme. O camisa 12 espalmou por cima e garantiu os três pontos.

Ficha técnica:.

San Lorenzo: Torrico; Buffarini, Cetto, Caruzzo e Más; Mercier e Mussis (Villalba); Blanco (Alan Ruiz), Romagnoli e Quignón (Cauteruccio); Matos. Técnico: Edgardo Bauza.

Corinthians: Cássio; Fagner, Edu Dracena, Gil e Uendel; Ralf, Elias, Jadson (Edílson) e Renato Augusto; Mendoza (Petros) e Danilo (Cristian). Técnico: Tite.

Árbitro: Carlos Vera (Equador), auxiliado pelos compatriotas Christian Lescano e Byron Romero.

Cartpes amarelos: Mussis, Quignón e Villalba (San Lorenzo); Fagner e Elias (Corinthians).

Gol: Elias (Corinthians).

Estádio: Nuevo Gasómetro, em Buenos Aires.

EFE   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade