0

Sergio Ramos pede que Espanha mantenha forma de jogar diante da França

25 mar 2013
11h46
  • separator

O lateral Sergio Ramos disse nesta segunda-feira que a seleção da Espanha deve usar "sua filosofia e continuar com sua forma de jogar" no encontro da próxima terça-feira contra a França, válido pelas Eliminatórios Europeias para a Copa do Mundo de 2014, mas alertou que "com o escudo de não se ganha partidas".

"O que sempre nos levou ao êxito foi a filosofia, nosso estilo de jogar e não devemos trocá-lo, é uma grande seleção", afirmou o jogador do Real Madrid.

Ramos disse que o grupo aceita as críticas após os dois empates da fase de classificação, mas pediu respeito para "uma equipe que fez história ao vencer duas Eurocopas (2008, 2012) e uma Copa do Mundo (2010)".

"Os números e as estatísticas estão aí. Mas o futebol não tem memória e é preciso demonstrar dia a dia. O que você fez ontem não importa. Todo mundo pode opinar, mas não pode se esquecer de que ganhamos", disse.

"Não se pode viver disso, mas não se deve esquecer também, é muito difícil conseguir e ninguém mais fez. Só com o escudo não se ganha nada, é preciso trabalhar todos os dias com a ambição de melhorar e conseguir títulos. Este grupo de jogadores marcou uma época", disse.

Ramos comentou que não faltará motivação porque "isso nunca acontece na Espanha".

"A ambição e a vontade de ganhar não devem faltar nunca. Independente de quem for o rival é preciso respeitar. Claro que gostaríamos de ter ganho da Finlândia, mas é preciso ser profissional e deixar o resultado adverso de lado, estabilizando nosso trabalho e com a mentalidade de querer ganhar desde o primeiro minuto", disse Sergio Ramos.

O espanhol reconheceu que contra a Finlândia houve um "relaxamento", porque se pensou que um gol "era suficiente".

Sergio Ramos aproveitou para elogiar seu companheiro no Real Madrid, o francês Karim Benzema, muito criticado em seu país por estar sem marcar há quase mil minutos com a seleção.

"Questionar um jogador como Benzema é uma loucura, tanto no Real Madrid como para a França. É um jogador super especial e faz a diferença, é um extraordinário atacante", afirmou.

Por fim, o lateral destacou o retorno de dois capitães da seleção, Xavi Hernández, recuperado de uma lesão, e Iker Casillas, que viajou para Paris para apoiar a equipe.

"É a palavra de um capitão, que reúne valores que são mostrados em gestos como este", disse.

EFE   
publicidade