0

Sergio Ramos prega respeito, mas mostra divergências com José Mourinho

20 mar 2013
13h31

As divergências entre Sergio Ramos e o português José Mourinho voltaram a ter um novo capítulo com as manifestações do lateral, que admitiu que não gostou das palavras do técnico após o Real Madrid eliminar o Manchester United em Old Trafford.

Essa não é a primeira vez que ambos trocam farpas. Ramos admitiu que as declarações de Mourinho após o Real Madrid eliminar o Manchester United, incomodaram (o português disse que a melhor equipe havia sido eliminada). Além disso, o espanhol admitiu que os jogadores "gostariam de ter ouvido" outras palavras.

"Após eliminar uma grande equipe como Manchester United, eu gostaria de ter ouvido outras palavras de reconhecimento sobre a equipe porque tínhamos jogado uma partida histórica e nos doamos por inteiro para ela", disse Ramos em entrevista à rede "APOSTE".

Ramos defendeu seu jeito, que disse que puxou do pai, de sempre falar o que incomoda. Por isso, admitiu que "ao longo de sua carreira, discutiu" com vários treinadores quando não concordava com as coisas.

"Minhas diferenças, não só com Mourinho ou Luis Aragonés, serviram para eu aprender. Vendo as razões deles, as minhas, mas sempre respeitando. Tanto Luis como Mourinho são treinadores com muita personalidade, chegamos a ter algumas diferenças pelo bem da equipe", admitiu.

Um dos problemas que teve com Mourinho foi para defender seu amigo, Mesut Özil. Ramos considerou que o alemão não estava sendo bem tratado pelo técnico e quando foi substituído no intervalo de uma partida, o lateral colocou a camisa do companheiro embaixo da sua. Meses depois, o espanhol afirmou que não se arrependeu.

"Expliquei que isso não era uma queda de braço com Mourinho. Com Özil aconteceu que nos demos bem desde o primeiro dia. É meu vizinho. Temos uma relação de irmão-companheiro e nesse dia vi que não estava bem", manifestou.

Ramos afirmou que ele não faz como os outros companheiros que se queixam, mas não falam com o treinador. "Considero o Real Madrid uma família e quando há um problema, é resolvido da porta para dentro, como minha família me ensinou. Sempre fui honesto e sincero. Afirmo para vocês que ninguém vai me calar. Desde pequeno, meu pai me disse que tinha que falar com quem tivesse um problema", disse.

"Há uma relação super profissional, boa em todos os sentidos. Seria muito ruim se tivessemos problemas, porque estamos em um momento muito delicado da temporada", afirmou.

Por fim, Sergio Ramos disse que os problemas com os jogadores do Barcelona são coisas do passado. "Me dou bem com Busquets, Piqué, Andrés Iniesta e talvez as pessoas se surpreendam se disser Valdés, mas é que concordamos em muitas coisas e tivemos uma relação legal na última Eurocopa".

"Se pudesse contratar um jogador do Barcelona seria Busquets, por necessidade. Xabi Alonso acumula muitas partidas. O iluminado é Andres. Mas seria como ver Messi de branco: é algo impossível", disse.

EFE   
publicidade