1 evento ao vivo

Togo diz que falta de garantias motivou saída da Copa Africana

9 jan 2010
20h13
atualizado às 20h35

Após o ataque contra o ônibus de sua delegação na última sexta-feira, o Governo do Togo ressaltou neste sábado que, por não haver "garantias de segurança", decidiu pela retirada de sua seleção da Copa Africana de Nações, que começa domingo em Angola.

» Veja imagens do atentado
» Togo abandona Copa Africana; mortes podem chegar a 4
» Togo é pressionado a continuar na Copa Africana
» Governo do Togo chama seleção de volta após atentado
» Veja a tabela da Copa Africana
» Opine: quais serão os clubes mais prejudicados com a Copa Africana?

"O Governo togolês decidiu retirar a sua equipe. Não podemos seguir nessas circunstâncias dramáticas na Copa Africana", disse em Lomé o ministro de Administração Territorial e porta-voz do Executivo, Pascal Bodjona.

Segundo Bodjona, os jogadores togoleses estão comovidos. "Não temos garantias de segurança que toda nossa equipe deveria ter", disse o ministro.

O ônibus que levava a delegação do Togo foi atacado por rebeldes separatistas ontem em Cabinda, província angolana rica em petróleo.

O motorista do ônibus e dois integrantes da comissão técnica foram mortos, e dois jogadores ficaram feridos.

Apesar do atentado, o Governo de Angola garantiu que o evento será realizado como o previsto. Nenhum outro país anunciou a retirada de sua seleção do torneio.

Atentado deixa jogadores abalados e Togo abandona torneio
Atentado deixa jogadores abalados e Togo abandona torneio
Foto: Reuters
EFE   
publicidade