0

Torcedores do Zenit se dizem contra contratação de negros e homossexuais

17 dez 2012
14h16
atualizado às 14h27

Os torcedores do Zenit São Petersburgo, atual campeão russo, publicaram nesta segunda-feira um manifesto no qual manifestam sua oposição à contratação de jogadores negros ou homossexuais.

"Não somos racistas, mas para nós a ausência de jogadores negros no elenco do Zenit é uma importante tradição que reforça a identidade do clube", afirma o manifesto "Seleção-12", publicado no site "Landskrona" ("Fortaleza", em sueco).

"Como clube mais nortista das grandes cidades europeias, o Zenit nunca teve vínculos com a África, nem com a América Latina, Austrália ou Oceania. Não temos nada contra os habitantes destes ou de outros continentes, mas queremos que o Zenit jogue com atletas afins em espírito e mentalidade", acrescenta a nota.

Os torcedores, considerados os mais fiéis e os mais agressivos do país consideram que estão impondo jogadores negros "quase a força" ao Zenit, o que, segundo eles, causa uma reação negativa.

Atualmente, a equipe de São Petersburg não conta com nenhum jogador negro, mas a contratação do atacante brasileiro Hulk e do meia belga Witsel, em setembro deste ano, gerou insatisfação dentro do próprio elenco e na torcida.

Também defende o Zenit, desde 2010, o zagueiro português descendente de brasileiros Bruno Alves, cuja pele é mais escura que a dos companheiros de time.

Além disso, no comunicado, os torcedores também criticam atletas homossexuais: "Somos contra haver no elenco do Zenit jogadores representantes das minorias sexuais", frisaram.

O clube não demorou a responder o manifesto e negou seguir a "cartilha" apresentada no "Seleção-12".

"Queremos lembrar que os jogadores são contratados não devido a sua procedência étnica ou a cor de sua pele, mas por suas qualidades e conquistas esportivos", destacou o Zenit em comunicado.

"A política do Zenit está dirigida ao desenvolvimento e integração na comunidade futebolística mundial e não apoia valores arcaicos. A luta contra diferentes classes de intolerância é o único princípio de desenvolvimento de nosso clube, do futebol e do esporte no mundo todo", completou.

O Zenit é o atual terceiro colocado do Campeonato Russo, com 38 pontos, cinco a menos que o líder CSKA Moscou. Na Liga dos Campeões, o time foi terceiro colocado de sua chave, atrás de Málaga e Milan, e ficou apenas com uma vaga no mata-mata da Liga Europa.

"O clube de futebol Zenit sempre se destacou por sua tolerância e sempre reuniu em seus elencos jogadores de diferentes origens e credos. De fato, nosso clube conta com um exército de muitos milhões de torcedores em todos os continentes", encerra a nota.

EFE   

compartilhe

publicidade
publicidade