0

Valcke diz que atrasos de 2013 não podem ser repetidos na Copa de 2014

5 abr 2013
15h04
atualizado às 15h12

O secretário-geral da Fifa, o francês Jerôme Valcke, afirmou nesta sexta-feira que o Brasil não estará totalmente pronto para receber a Copa das Confederações, em junho deste ano, e deixou claro que novos atrasos não serão tolerados para o Mundial de 2014.

"Para a Copa das Confederações, vamos acabar dando certo. Será um torneio fantástico, não tenho dúvidas sobre isso. No entanto, todos os preparativos organizacionais não estarão 100%", explicou o dirigente na coluna que publica mensalmente no site da Fifa.

"É impossível esperar uma organização perfeita com tempo de preparação reduzido que decorreu de concessões que tivemos que fazer com as cidades-sede. Na maioria dos casos, serão entregues dois meses antes da competição, ao invés dos seis meses previstos", lamentou Valcke.

Apenas três dos seis estádios que receberão partidas da Copa das Confederações estão prontos: o Castelão, de Fortaleza, o Mineirão, de Belo Horizonte, e a Arena Fonte Nova, de Salvador, esta última inaugurada nesta sexta-feira na presença da presidente Dilma Roussef.

A Arena Pernambuco, de Recife, será entregue no dia 14 de abril, o Estádio Nacional de Brasília no dia 21 e o Maracanã, do Rio de Janeiro, no dia 27.

Valcke fez questão de ressaltar que a Fifa não aceitará mais atrasos para os demais seis estádios da Copa do Mundo de 2014, que precisam ficar prontos seis meses antes do início da competição.

Além das seis cidades-sede da Copa da Confederações, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, Natal, Manaus e Cuiabá também receberão partidas do Mundial.

"O prazo de entrega dos estádios do Mundial é dezembro de 2013 e não haverá nenhuma concessão. Organizar uma Copa do Mundo é um trabalho infinitamente mais complexo do que receber uma Copa das Confederações, que tem uma programação quatro vezes menos extensa.

A Copa das Confederações, considerada um ensaio geral para a Copa do Mundo, será realizada dos dias 15 a 30 de junho, e terá como participantes Brasil, Espanha, México, Uruguai, Japão, Itália, Nigéria e Taiti.

Mais de 546.000 ingressos foram vendidos, um recorde para este evento.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 

compartilhe

publicidade