Futebol

publicidade
22 de maio de 2013 • 17h25 • atualizado às 19h09

"Voando" na Libertadores, Atlético-MG encara Tijuana fora de casa

O Atlético Mineiro, equipe de melhor campanha na Taça Libertadores, visita nesta quinta-feira o Tijuana, e tenta fazer sua condição de favorito para conquistar inédita vaga nas semifinais da competição.

No acumulado da primeira fase e oitavas de final da competição continental, o Galo é quem marcou mais pontos, 21. Atrás do time de Ronaldinho Gaúcho está o Santa Fé, da Colômbia, e justamente o rival mexicano das quartas, ambos com 17 pontos.

A equipe do técnico Cuca vem acumulando elogios e simpatizantes pelo futebol ofensivo, sendo a dona do melhor ataque na competição, com 22 gols - junto ao Olimpia, que enfrenta nesta quarta-feira o Fluminense.

Além disso, o Galo vai ainda mais motivado após conquistar o bicampeonato mineiro no último domingo, em cima do seu maior rival, o Cruzeiro. Depois de vencer o jogo de ida por 3 a 0 no estádio Independência, o Atlético perdeu a volta por 2 a 1, e garantiu a taça.

O time mineiro também foi o mais vitorioso na competição, tendo saído com o resultado positivo em sete partidas até agora, sendo três fora de casa. No mata-mata, o Galo foi o único que venceu as duas partidas, contra o São Paulo.

O retrospecto em solo mexicano também é favorável ao time mineiro. A equipe nunca foi derrotada no país. Até agora, foram cinco partidas, com três vitórias e dois empates.

Para o jogo desta quinta-feira, Cuca não poderá contar com o lateral esquerdo Richarlyson, que tem uma infecção na testa e será substituído por Júnior César. Quem volta a ser relacionado é Leonardo Silva, que se recuperou de fratura na mão. Em seu lugar vinha atuando Gilberto Silva.

Na sua ótima campanha na temporada, o Atlético vem contando com a excelente fase vivida pelo centroavante Jô, artilheiro da Libertadores com seis gols. O camisa 9 inclusive marcou três deles na última partida do Galo pela competição, quando o time de Cuca goleou o São Paulo por 4 a 1 no Independência.

Ao seu lado estará um trio que tem feito barulho: Ronaldinho Gaúcho, Bernard e Diego Tardelli. O segundo, promessa que vai se tornando realidade no futebol brasileiro, foi um dos 23 convocados pelo técnico Luiz Felipe Scolari para a disputa da Copa das Confederações, em junho.

Um ingrediente extra para a partida e que o Atlético Mineiro terá que enfrentar, é a adaptação a grama sintética do Estádio Caliente, que já dificultou a vida de Corinthians e Palmeiras nesta Libertadores.

O atual campeão da competição e do mundo saiu do estádio derrotado por 1 a 0, ainda na primeira fase. Já o atual campeão da Copa do Brasil empatou em 0 a 0, nas oitavas de final, sendo eliminado com a derrota por 2 a 1, no Pacaembu.

A equipe mexicana tentará nesta quinta-feira manter a fama de algoz dos times brasileiros, em sua primeira participação na Libertadores, assegurada a partir da conquista do título do Torneio Apertura do Campeonato Mexicano, no fim do ano passado.

Os dois principais jogadores da equipe são os atacantes Fidel Martínez - equatoriano, que passou pelo Cruzeiro, e fez três gols na atual edição da competição - e Duvier Riascos - colombiano.

Nesta quinta-feira, o treinador da equipe, Antonio Mohammed, deverá apostar em uma mais postura defensiva, explorando os contra-ataques para municiar a sua talentosa dupla de ataque.

Prováveis escalações:.

Tijuana: Saucedo; Núñez, Gandolfi, Ortiz e Edgar Castillo; Pellerano, Arce, Corona e Richard Ruiz; Martínez e Riascos. Técnico: Antonio Mohammed.

Atlético Mineiro: Víctor; Marcos Rocha, Réver, Gilberto Silva (ou Leonardo Silva) e Júnior César; Pierre, Leandro Donizete, Bernard e Ronaldinho Gaúcho; Diego Tardelli e Jô. Técnico: Cuca.

Árbitro: José Buitrago (Colômbia), auxiliado por seus compatriotas Wilmar Navarro e Wilson Berrio.

Estádio: Caliente, em Tijuana (México).

EFE