1 evento ao vivo

Lesão antecipa aposentadoria de Daiane dos Santos da ginástica

31 ago 2012
14h25
atualizado às 15h48

O último ano de Daiane dos Santos na ginástica foi mais breve do que a atleta esperava. Após se despedir da Seleção Brasileira na Olimpíada de Londres, Daiane planejava cumprir seu contrato com o Pinheiros até o final do ano, mas uma nova lesão, desta vez no joelho esquerdo, acabou antecipando sua aposentadoria.

Desta vez, o problema é um menisco solto no joelho esquerdo, que levará a atleta a passar por uma artroscopia na próxima terça-feira. Daiane contou em entrevista ao jornal Extra que já sentia dores no local desde os Jogos, porém não acreditava que fosse algo sério.

"Quando voltei, descobri que tinha uma lesão grande. Tive que escolher se competia ou operava, mas eu precisava pensar na minha saúde, não adiantava querer fazer tudo", disse Daiane.

Aos 29 anos, Daiane dos Santos participou de quatro Olimpíadas. Em Sidney/2000, ela foi como reserva da equipe brasileira. Quatro anos depois, em Atenas/2004, era grande a expectativa de a ginasta conquistar a medalha de ouro, uma vez que ela houvera sido campeã mundial em 2003. Daiane, no entanto, errou em sua apresentação no solo e terminou no quinto lugar.

Nos Jogos de Pequim, a ginasta acabou com a sexta posição. Em Londres, não conseguiu classificação para a final do aparelho, sua especialidade desde o início da carreira, que começou a ficar em evidência em 1999, nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg.

Na competição realizada no Canadá, Daiane levou três medalhas - uma de prata e duas de bronze (uma no solo) - que a colocaram pela primeira vez em destaque internacional no esporte. Então com apenas 16 anos, a ginasta nascida em Porto Alegre começava a mostrar o seu potencial, que voltaria a estar em evidência em 2001, no Mundial da Bélgica, quando ficou na 5ª colocação.

Treinando com a supervisão do ucraniano Oleg Ostapenko, Daiane desenvolveu seu potencial e chegou ao seu auge no Mundial de 2003, em Anaheim, na Califórnia, quando mostrou ao mundo o inédito duplo twist carpado, movimento nunca antes realizado por uma ginasta ao som de Brasileirinho. A apresentação marcou a carreira da brasileira e seu feito foi batizado internacionalmente de "Dos Santos".

A gaúcha aprimorou sua técnica e realizou no ano seguinte um duplo twist esticado na Olimpíada de Atenas, quando apesar do favoritismo não conquistou medalhas para o Brasil. Até hoje, nenhuma outra ginasta conseguiu realizar o movimento, embora a americana Alicia Sacramone tenha incluído a primeira versão do "Dos Santos" na sua rotina em 2007.

Daiane conseguiu se manter na elite do solo feminino até 2006, período no qual foi soberana em etapas da Copa do Mundo de Ginástica na sua especialidade, o solo. Em 2007, a ginasta passou pela primeira cirurgia que marcaria a fase descendente de sua carreira, período que se estendeu até os Jogos de Londres deste ano, no qual ela não conseguiu a classificação à final de seu aparelho predileto.

A atleta gaúcha se despede da ginástica artística brasileira após conquistas importantes e algumas decepções decorrentes das grandes expectativas criadas sobre ela, principalmente na Olimpíada de Atenas. Daiane se manteve na elite da modalidade no País, mas as seguidas contusões, cirurgias e um teste positivo de doping em 2009 - que resultou em uma suspensão de cinco meses - fizeram ela perder destaque e aparecer em segundo plano na Seleção Brasileira.

Com informações do Lancepress!

Daiane dos Santos sofreu uma nova lesão no joelho esquerdo
Daiane dos Santos sofreu uma nova lesão no joelho esquerdo
Foto: Getty Images
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade