1 evento ao vivo

Sem pressão, Zanetti defende liderança nas argolas em Ostrava

22 nov 2012
22h10

Depois de ter um ano de 2012 muito bom e conquistar a medalha de ouro olímpica nas argolas, Arthur Zanetti vai disputar, nesta sexta-feira e sábado, sua última competição na temporada: o Grand Prix de Ostrava, na República Tcheca. O torneio é uma etapa de Copa do Mundo e conta pontos para o ranking. Mesmo depois da histórica medalha em Londres-12, Arthur deseja defender a liderança na classificação das argolas, já que ele lidera com 115 pontos, logo à frente do grego Eleftherios Petrounias, que soma 110.

"A liderança é uma coisa que eu quero buscar e vou defender essa posição em Ostrava. Estou em primeiro e é onde quero me manter", disse Zanetti.

O ginasta admite que fica difícil seguir motivado após a conquista de uma medalha olímpica, a primeira da ginástica artística brasileira. "Mesmo assim, continuei treinando depois de Londres, ainda não parei. Vou fazer a temporada até o fim. Ainda não sei para onde vou, mas vou pegar a minha namorada e viajar", destacou o ginasta, de 22 anos de idade, que terá férias somente após o dia 15 de dezembro.

Para fechar o ano no topo do ranking mundial nas argolas, Arthur Zanetti precisa de um bom desempenho em Ostrava. Mas o técnico Marcos Goto admite que o ginasta vai fazer a prova sem nenhuma pressão. "Ele está competindo com o grego pelo ranking, mas não vai se sentir pressionado. O objetivo é cumprir tudo o que foi programado para a temporada em termos de competições. Na verdade, com o ouro dos Jogos de Londres, o principal objetivo do ano já foi alcançado", falou o treinador.

A sexta-feira será reservada para as provas de qualificação e o sábado para as finais, com os oito melhores por aparelhos. O treinador ainda não decidiu a série que Arthur mostrará em Ostrava. Vai depender do nível dos adversários e do que o brasileiro precisará para se manter no topo do ranking. "Vamos resolver lá, dependendo dos outros ginastas que vamos encontrar", observou Goto, técnico de Arthur na Serc Santa Maria, em São Caetano, há 14 anos, e na Seleção Brasileira.

Arthur competiu em quatro das sete etapas da Copa do Mundo que contam pontos para o ranking, todas elas antes dos Jogos de Londres e da conquista do ouro. Em Cottbus, na Alemanha, ficou com a medalha de prata (15.600), em março. Nas outras três etapas, levou ouro nas argolas, em Oseijek, na Croácia (15.875), em abril, em Maribor, na Eslovênia (15.575), e em Ghent, na Bélgica (15.925), em junho.

Depois de Ostrava, Arthur seguirá para a Alemanha, onde vai competir em Stuttgart, no dia 3 de dezembro, com a Seleção. Francisco Barreto, companheiro de Arthur na Serc, Arthur Nory Mariano (Pinheiros) e Felipe Arakawa (Mesc) também integram o time do Brasil.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade