0

Zanetti é ouro e faz história com a 1ª medalha brasileira na ginástica

13 ago 2012
07h44
  • separator

Arthur Zanetti chegou aos Jogos Olímpicos de Londres como a principal e talvez única esperança brasileira de uma medalha inédita na ginástica artística. Mesmo assim, a medalha de ouro conquistada nas argolas não deixou de surpreender e emocionar o País.

» Escolha o esporte e assista aos vídeos da Olimpíada de Londres
» Saiba tudo sobre os medalhistas do Brasil em Londres
» Veja como foram as conquistas dos brasileiros
» Veja mapa e conheça tudo sobre o Parque Olímpico de Londres
» Confira a programação de ao vivo do Terra
» Veja a agenda e resultados dos Jogos de Londres

Quarto lugar na fase classificatória, Zanetti foi o último a se apresentar na final do aparelho. O primeiro atleta a competir foi o chinês Yibing Chen, campeão olímpico em 2008 e favorito ao bi. Chen conquistou 15.800 pontos, marca que não foi atingida pelos ginastas seguintes, até a apresentação do brasileiro, que fez uma passagem segura e convincente, conquistou 15.900 pontos e ficou com o ouro.

Aos 22 anos, Arhtur Zanetti, nascido e criado em São Caetano do Sul, onde treina com equipamentos fabricados pelo próprio pai, se recuperou de quatro graves lesões nos últimos nove anos, superou todos os concorrentes e fez história.

Se brilhou nas argolas, a equipe brasileira de ginástica também amargou algumas decepções nesta Olimpíada. A primeira delas foi Diego Hypolito, que caiu de barriga em sua apresentação no solo, repetiu a falha de Pequim (quando era favorito ao ouro) e ficou de fora da decisão da prova, que é sua especialidade.

Daniele Hypolito, irmã de Diego, também cometeu erros no solo e prejudicou a pontuação do time feminino, que disputou o torneio de equipes, mas ficou de fora da final. Prejudicada pelas lesões de Adrian Gomes e Lais Souza, que foram cortadas, e pela não convocação de Jade Barbosa, que ficou de fora por problemas com a Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), a equipe já chegou a Londres enfraquecida.

Além do ouro de Zanetti, outra destaque foi a 10ª colocação de Sergio Sazaki no individual geral, melhor colocação de um atleta do País da modalidade. Além disso, vale ressaltar os aplausos do público a Daiane dos Santos, que, aos 28 anos, disputou sua última Olimpíada.

Protagonistas do quadro de medalhas dos Jogos, Estados Unidos e China dominaram as competições por equipes na ginástica artística. O primeiro foi campeão no feminino, enquanto o país asiático ficou com a medalha de ouro no masculino e liderou o quadro de medalhas da modalidade com quatro medalhas de ouro, contra três do rival.

Rússia domina ginástica rítmica

Na ginástica rítimica, a supremacia foi russa. Bicampeã olímpica e tricampeã mundial nos últimos três anos, Evgeniya Kanaeva conquistou a medalha de ouro no campeonato indivudal, seguida da compatriota Daria Dmitrieva. A seleção europeia também foi medalhista de ouro por equipes, superando Bielorrússia e Itália, que ficaram em segundo e terceiro, respectivamente.

Brasileiro de 22 anos foi o último a se apresentar na final das argolas e conquistou a medalha de ouro
Brasileiro de 22 anos foi o último a se apresentar na final das argolas e conquistou a medalha de ouro
Foto: Bruno Santos / Terra

Veja também:

Veja os maiores campeões das ligas nacionais por país
Fonte: Terra
publicidade