0

Dorival rebate gremistas por juiz, e Valdivia nega pênalti

12 out 2014
02h11
atualizado às 11h40
  • separator
  • comentários

A diretoria e os jogadores do Grêmio criticaram a arbitragem de Sandro Meira Ricci na derrota por 2 a 1 para o Palmeiras, no Pacaembu. No entanto, o técnico Dorival Júnior discordou da interpretação dos adversários e entende que o único prejudicado no jogo da noite deste sábado foi o clube paulista.

O técnico alviverde cita a situação de Fellipe Bastos como exemplo. O gremista recebeu cartão amarelo no início do jogo e, pouco depois, cometeu falta mais dura em Valdivia. Os palmeirenses pediram a expulsão, mas o árbitro não deu o vermelho e, logo em seguida, ainda aos 28 minutos do primeiro tempo, o técnico Luiz Felipe Scolari tirou o meio-campista da partida para colocar Riveros.

"Felizmente, nossa equipe teve forças para buscar a reação, mas são fatos que aconteceram (com Fellipe Bastos). Não é uma crítica, mas sim uma constatação. O próprio Felipão fez a troca no momento seguinte. Sei que é interpretação e, às vezes, há lances marcados erroneamente, mas hoje, se alguma equipe tinha que reclamar, era o Palmeiras", afirmou o comandante da equipe paulista.

O meia Valdivia também discordou da arbitragem, pois negou que tenha cometido o pênalti que originou o gol gremista. Na jogada em questão, depois de cobrança de escanteio, Bressan cabeceou e o chileno saltou de costas para o adversário, com os braços levantados. A bola tocou na mão, e Sandro Meira Ricci apontou para a marca de pênalti.

"Eu estava de costas, a bola bateu na cabeça e depois acabou batendo na mão. Eu não daria, mas não sou juiz", afirmou o meio-campista. O técnico Dorival Júnior reforçou o discurso do camisa 10 palmeirense.

"Esse lance do pênalti só está acontecendo em nosso país. O Valdivia estava de costas... Tivemos um lance no jogo contra o Fluminense (em pênalti anotado contra o Palmeiras) algumas rodadas atrás, mas, depois, houve duas ou três jogadas semelhantes que não foram marcadas ao nosso favor. Está sendo corriqueiro marcar pênalti contra o Palmeiras e muito difícil marcar para nós", completou.

Já do outro lado, a principal reclamação gremista foi com a expulsão de Barcos, poucos minutos depois de o Pirata ter feito gol. Os representantes do clube gaúcho alegam que o argentino não tocou no compatriota Cristaldo no lance em que o árbitro marcou falta e aplicou o segundo cartão amarelo.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade