0

Moreno rompe com Luxa, mas Brunoro prefere reforço para Libertadores

21 mar 2013
05h04
atualizado às 07h50

Há menos de dois meses, quando o Grêmio o envolveu na negociação para levar Barcos, Marcelo Moreno viu seu pai e empresário chamar o Palmeiras de "fracassado" para mantê-lo no Rio Grande do Sul. Mas o atacante já disse que não vai mais jogar no clube gaúcho com Vanderlei Luxemburgo. E agora é o Verdão que não o coloca como prioridade.

O diretor executivo do clube alviverde, José Carlos Brunoro, informou que o centroavante boliviano, fora dos planos do técnico do Tricolor porto-alegrense, já não é tão necessário quanto no mês passado, quando o Palmeiras se afastou de sua contratação até por conta de seu alto salário.

"Agora, estamos mais focados em passar confiança ao grupo que temos aqui para se classificar na Libertadores e no Campeonato Paulista. E hoje seria mais interessante contratar alguém que pudesse disputar a próxima fase da Libertadores", disse o dirigente, ciente de que o atacante já jogou no torneio continental e, por isso, não poderá ser inscrito.

Diferentemente do que disse o pai de Moreno quando ele era prioridade no Palmeiras, o tom de Brunoro não é de desprezo pelo jogador boliviano. "Todo bom jogador nos interessa, e o Marcelo Moreno sempre nos interessou. Mas a conversa não andou e essa nova situação não fez nada mudar para nós", indicou.A posição ainda não é de descarte, mas trazer Marcelo Moreno após tudo o que foi dito pelo seu pai deixaria conselheiros irritados com o presidente Paulo Nobre, além da provável reação contrária da torcida. Embora o jogador, segundo Brunoro, tenha até lhe enviado um SMS pedindo desculpas pelas palavras de seu representante.

Por enquanto, a diretoria deposita confiança em Kleber, apesar de o centroavante ter chegado com lesão muscular, ter decepcionado com más atuações nos cinco jogos que fez pelo clube e nesta sexta-feira já começar a tratar de uma tendinite no joelho direito que deve tirá-lo dos próximos compromissos. Seu contrato de empréstimo, embora o acordo seja até dezembro, acaba em junho, com o Porto livre para levá-lo ao final do semestre sem pagar nada.

E o Palmeiras pode ganhar dinheiro com Marcelo Moreno mesmo se o boliviano nem abrir nova negociação com o clube. Na negociação de venda de Barcos, o Palmeiras assegurou o direito a uma porcentagem (estimada extraoficialmente em 15%) do lucro de uma negociação do jogador até dezembro caso o Grêmio não ceda cinco jogadores por empréstimo ao Verdão - até agora, só vieram quatro.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade