0

Branco deixa crise interna de lado e quer elenco focado no futebol

18 mar 2013
18h02
atualizado às 18h16
  • separator
  • 0
  • comentários

A fase do Guarani realmente não é boa. Na semana passada, a torcida protestou diante dos recentes resultados e o vice-presidente Horley Senna registrou um Boletim de Ocorrência contra o presidente Álvaro Negrão o acusando de difamação. Se não bastasse tudo isso, o time perdeu para o Santos, por 2 a 1, no último sábado, e continua na zona de rebaixamento do Campeonato Paulista. O técnico Branco, porém, se concentra apenas no que acontece dentro de campo.

<p>Branco, treinador do Guarani, cumprimenta Muricy Ramalho, antes da derrota para o Santos</p>
Branco, treinador do Guarani, cumprimenta Muricy Ramalho, antes da derrota para o Santos
Foto: Miguel Schincariol / Agência Lance

Em entrevista depois da derrota na Vila Belmiro, Branco afirmou que esses problemas na diretoria todo clube tem, assim como crise financeira, mas que os jogadores e comissão técnica precisam pensar apenas em fazer suas partes no gramado, tirando o Guarani da zona de rebaixamento e garantindo a permanência na elite.

"O carro-chefe do Guarani é o futebol. Questão política, disputa entre A ou B, todo clube tem. Nós temos que ter consciência apenas de que só a gente pode sair dessa situação, pois as áreas administrativa e financeira não são da nossa competência", discursou o treinador, esperando que os problemas de bastidores não atrapalhe no desempenho dos jogadores.

E o Guarani realmente precisa de foco total nesta reta final de Paulista para conseguir escapar da degola. De acordo com as contas da comissão técnica, o time tem que vencer quatro jogos nas próximas sete rodadas. E o primeiro passo poderá ser dado nesta quinta-feira, quando recebe o Paulista, às 19h30 (horário de Brasília), no Estádio Brinco de Ouro da Princesa.

Fonte: André Regi Esmeriz - Especial para o Terra André Regi Esmeriz - Especial para o Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade